RSS contos eroticos

Conto Erotico Despedida de solteira

Sou uma jovem menina casada, de uma família muito tradicional de curitiba. sou loira, tenho olhos claros e malho bastante na academia. tenho 24 anos, 1,68 m de altura, 54 kg, seios generosos e bumbum arrebitado. este episódio aconteceu uma semana antes do meu casamento, após o meu chá de panela. namorei bastante tempo com o meu atual marido, que foi um dos poucos homens com quem havia transado.

alguns meses antes do meu casamento, eu e meu marido combinamos de ficar sem transar, para que a noite de núpcias e a lua de mel tivessem mais graça. ficamos quatro meses sem transar, e ambos já estávamos subindo pelas paredes. enquanto isso, eu me preparava com afinco para o casamento, depilando-me semanalmente, passando creme no corpo e fazendo bronzeamento artificial, para ficar com marquinha de biquíni.

meu chá de panela foi combinado para ser realizado na casa de uma amiga minha que morava sozinha. eu me demorei bastante na preparação: vesti um sutiã preto meia taça, uma calcinha preta de renda transparente, meias 7/8, cinta liga e mini-saia preta, com uma fenda lateral que vinha até a metade da coxa. coloquei uma blusa decotada e um salto bem alto. estava me sentindo e realmente estava muito gostosa.

não esperava muita sacanagem lá, pois minhas amigas não são das mais assanhadas. mas não sei porque, elas acabaram montando uma festa bem sacaninha... uma delas preparou doses generosas de caipirinha, que foram tomadas por todas. outra trouxe alguns pintos de borracha, outra máscaras da tiazinha, e assim por diante. tive que fazer um strip tease para elas, dançar em cima da mesa (quando recebia tapinhas na bunda, ouvindo assobios e o coro de "gostosa", elogios para minha marquinha). brinquei com os pintos de borracha, fingi que era tiazinha, etc.

estávamos todas muito excitadas, mas ficou só por isso. lá por umas 9:00 da noite, liguei no celular do meu noivo para que ele fosse me buscar, mas percebi que ele estava bêbado, e arranjou uma desculpa qualquer para não me ver naquele dia. o pior foi que eu ouvi música alta e risadas atrás, inclusive vozes femininas. saquei na hora que o canalha estava fazendo uma despedida de solteiro...

a minha festa estava para acabar e eu fiquei chorando para as minhas amigas ao contar a história. duas delas, solteiríssimas, então propuseram que eu me vingasse e fôssemos nós todas para um clube de mulheres.

acabei concordando só de raiva do meu noivo. chegando lá, minhas amigas já foram falando que eu iria casar e pediram um atendimento especial para mim. os rapazes chegavam perto, falando besteirinhas do tipo que era um desperdício uma mulher como eu se casar com um homem só, o que foi me deixando mais à vontade. continuamos tomando caipirinha e os strip-teases começaram. minhas amigas iam à loucura, assim como eu. começamos a passar a mão nos rapazes e eu já me sentia completamente à vontade e relaxada no lugar. sentia minha vagina molhadinha e estava bêbada em um lugar bem submundo, completamente diferente dos locais que eu conhecia...

foi então que o locutor da casa anunciou que os meninos haviam preparado uma surpresa especial para mim, já que eu estava me casando. colocaram uma cadeira no centro do palco e pediram que eu me sentasse lá. fiquei receosa, mas minhas amigas já foram me incentivando e empurrando. sentei na cadeira e o locutor chamou então os rapazes, que vieram para perto de mim, me cercaram e começaram a me bolinar deliciosamente...

eu ouvia o locutor dizendo que a casa oferecia uma ilha de homens para mim e eu só ouvia minhas amigas gritando, "vai, aproveita, vai...". sentia os caras beijando minha boca, minha orelha, minha nuca, passando a mão nos meus seios, enfiando-as na fenda da minha saia até chegar na minha xaninha molhadinha...

eu comecei a ficar alucinada de tesão... apertava os paus deles, passava a mão pelos seus peitos másculos e peludos, beliscava suas bundas...

eu ouvia eles sussurrando no meu ouvido: tá gostando, né putinha rica? safadinha, está vendo o que são homens de verdade?

aquilo foi me deixando completamente pirada... a voz das minhas amigas rindo, gritando e me incentivando, a voz do locutor narrando aquela loucura, aqueles caras me tratando como uma cadelinha e o efeito do álcool me deixaram alucinadas.

sentia minha mini-saia levantada até o umbigo... foi quando senti uma mão mais ousada afastar a minha calcinha e bolinar minha xoxota, que já estava alagada... o locutor pediu então que o show terminasse para novos strips e fomos todos saindo pelos fundos do palco. chegando lá, fui encoxada e prensada contra uma porta por um cara delicioso. outro chegou, me virou e começou a beijar minha boca. eu estava ensanduichada e completamente à mercê. eles me empurraram através de uma outra porta, onde havia um quarto com uma cama.

percebi o que eles queriam, e eu desejava o mesmo. implorei para eles: - por favor me façam gozar gostoso, como eu nunca gozei...

nem precisei pedir duas vezes: fui jogada na cama, tive minha xotinha e meus seios lambidos até gozar freneticamente, enquanto chupava os paus de alguns dos rapazes. só depois comecei a ser penetrada, queria muito levar rola... ouvia aqueles tarados rindo, tirando sarro do meu noivo, dizendo que ele não sabia a puta que teria em casa... aquilo me deixava com mais tesão e eu pedia, me fode seu puto, me faz gozar... pedia para ser tratada como puta, para levar tapas na bunda e na cara, e foi isso que eles fizeram...

gozei demais, com aqueles paus imensos se revezando na minha bucetinha, até que um último deles, com chapéu de caubói, forçou entrada no meu cuzinho. senti ele bombando, entrando devagar e quase vi estrelas... outro voltou a comer minha bucetinha enquanto os demais me passavam a mão, falavam coisas sujas no meu ouvido e enfiavam os paus na minha boca e na minha mão.

fiquei rebolando como uma puta, adorando ser fodida daquela forma. batia punheta e chupava os paus deles e pedi para que eles gozassem na minha cara...

eles começaram um a um a gozar na minha cara, no meu cabelo... eu chupava os paus e me sentia uma verdadeira piranha...

o cara que estava comendo meu cuzinho gozou como um vulcão, quase o inundando todinho... já o que estava comendo minha xaninha gozou na minha barriga. eu espalhei tudo pelos meus seios e pela minha barriguinha com piercing...

quando olhei para trás me dei conta que as minhas duas amigas solteiras estavam na porta e haviam olhado tudo... riram e me disseram que eu era uma verdadeira putinha... saí de lá toda esfolada, mas feliz e vingada...

uma semana depois me casei, de branco, com o meu rostinho angelical. a festa saiu em todas as colunas sociais da cidade. a noite de núpcias e a lua de mel foram boas, mas jamais como naquele dia... eu tenho hoje um casamento até que feliz, com sexo satisfatório. mas sempre sonho em encontrar um cara que me trate como a putinha que eu verdadeiramente sou. quem sabe você não é essa pessoa? se gostaram do conto, me escrevam... contem o que fariam comigo... desde aquele dia passei a adorar uma sacanagem bem suja...