RSS contos eroticos

Conto Erotico Esposa, exibida e prostituida na festa empresa

Olá amigos, o que vou contar ocorreu no final de semana passado, dia 17/03/07. meu nome é alberto, tenho 43 anos e minha esposa chama-se lúcia, 39 anos, 165m, 52 kg, cabelos louros médios, olhos mel, gostosa e sexy, apesar de considerá-la uma vadia, ela ainda é bem tímida com estranhos e pessoas fora de nosso meio de relacionamento.
fomos convidados para uma “festa” patrocinada pela empresa em que trabalho para despedida de um dos diretores que está indo para o exterior e dar boas vindas ao seu substituto e que seria realizada numa casa alugada para festas na rodovia raposo tavares aqui em sampa. geralmente não levo minha esposa nestas festas, pois na maioria das vezes terminam em putaria por conta das deliciosas garotas de programa que costumam animar estas festas, e desta vez não seria diferente.
como ela insistiu e também achei chato deixa-la sozinha num sábado à noite, concordei em levá-la comigo e fomos até um shopping comprar umas roupas, compramos em lojas diferentes, compramos juntos apenas a sandália dela, era alta, branca de tiras e pedras de strass, mais parecia uma sandália de striper, pois deixava os lindos pezinhos 36 dela bem expostos. mas o melhor estava por vir, à noite estávamos nos preparando para sair, me aprontei primeiro, desci para tirar o carro da garagem, coisa e tal, subi para buscá-la, pois já estávamos em cima da hora e quando entro o quarto quase caio de costas e meu pau ficou duro na hora, pois ela estava com um vestido prata muito bonito, bem justo e curto, com um delicioso decote em v que ia quase até o umbigo, sem sitiem e com uma calcinha tipo asa delta marcando a bunda, a sandália que já parecia de striper antes, agora no conjunto caia como uma luva, os cabelos, a maquiagem e as unhas com pontas quadradas e com esmalte transparente completavam o visual de puta chique.
chegamos à festa por volta das 22h30min horas, a casa era bonita, com terraços, piscina e bem decorada, mas não muito grande, do tamanho ideal, pois não havia muita gente, mas como sempre com uma ótima freqüência de homens e mulheres bonitas. assim que entramos, ela já chamou a atenção de algumas pessoas que já imaginavam se era uma convidada ou uma acompanhante, ficamos bem excitados com os olhares recebidos.
o atual diretor foi o primeiro a vir nos cumprimentar, ele já conhecia minha esposa de outras ocasiões, mas não deixou de dar uma boa olhada nela de cima em baixo, parando em seu generoso decote, apesar dos seios médios e sem sitiem o decote estava perfeitamente ajustado a sua anatomia, sem sobrar ou faltar nada.
sentamos os três num sofá que apesar de não muito grande era confortável, ela no meio e nos dois nas pontas, estávamos conversando quando ela querendo ajeitar-se melhor cruza as pernas e deixa o vestido lá em cima e com as coxas bem amostra, por pouco não mostrando a calcinha, parecia que ela estava mesmo a fim de se exibir nesta noite, meu chefe engoliu seco e não hesitou em admirar as coxas da minha gostosa esposa. ela me pediu uma bebida e fui providenciar, ao aproximar-me com o martini, percebi que eles conversavam bem próximos um do outro, ela ainda de pernas cruzadas e ele tendo uma das mãos alisando a coxa e a outra atrás da nuca dela, como se tivesse levando-a de encontro a ele, então sem esboçar reação alguma a boca dela foi conduzida em direção à dele e os dois se dão um longo beijo de língua, enquanto a mão dele aperta e percorre toda a coxa dela até encontrar em sua calcinha. assim que se beijaram, me aproximei deles, entreguei a bebida a ela, sentei-me e continuamos a conversar normalmente.
depois de uns drinks fomos dançar e aproveitei para dar uns amassos nela, coisa que a maioria do pessoal estava fazendo, fomos interrompidos pelo meu diretor que queria nos apresentar seu substituto interino que estava chegando da matriz, meio coroa, mas boa pinta e simpático. depois das apresentações a todos, acho que meu diretor queria deixar seu substituto em boas mãos e nos chamou para companhia a eles, afinal eu teria um estreito relacionamento com este novo diretor daqui para frente.
sentamos-nos num outro ambiente com três poltronas, sentaram-se os dois homens e minha frente a eles, eu sentei-me no braço da poltrona dela com a mão nos seus ombros, estávamos bebendo quando ela resolveu repetir a cruzada de pernas da outra vez, só que agora mais lentamente e em outra posição foi difícil esconder totalmente a calcinha branca que usava que ficou ligeiramente amostra, mas o suficiente para os dois homens apreciarem, eu que já tava de pau duro conversava massageando de leve o ombro dela e acho que isto a estava deixando excitada, sem querer acabei esbarrando na alça do vestido que caiu para baixo do ombro, quase no antebraço e estava a centímetros de descobrir seu seio esquerdo, todos quase que pararam para ver qual seria a reação dela, levantar a alça ou deixa-la como estava. ela percebendo que dominava a situação continuou a conversar normalmente movimentando o braço fez a alça deslizar até seu cotovelo, expondo assim todo seu lindo seio que tinha os bicos rosados e tesos. os dois homens, já vividos, perceberam que estavam diante de uma esposa safada e de um marido corno assumido.
passou o garçom e trocamos nossa bebida para champanha bem gelada, tomei a iniciativa de esquentar ainda mais o clima, levei minha mão até o seio que estava exposto e comecei a acariciá-lo, ela com pequenos tremores e arrepios beijava carinhosamente meu braço e continuava a beber e a conversar com os dois homens, de um seio passei para o outro e também o desnudei delicadamente e agora ela estava com os dois seios expostos firmes e com os bicos rosados tesos. os dois homens não se agüentaram só em presenciar e levantaram-se vindo em nossa direção cada um de um lado da poltrona, afastei-me um pouco, pois como conhecia bem aquele corpo gostoso e quente, deixei-os tomar meu lugar naquele momento. meu pau quase estourou quando vi as mãos daqueles homens percorrem e acariciando os seios da minha esposa, um em cada seio, no começo ela também acariciou e beijou a mão deles, mas depois colocando a taça na mesa ao lado levantou-se e ficou entre eles, um beijava e mordiscava seus mamilos e o outro beijava seus lábios, que tesão de cena minha esposa estava me proporcionando e me deixando com a cueca já melada. o garçom passou por nós novamente e como se nada acontecesse trocou as taças por outras cheias enquanto ela estava sendo beijada do pescoço até a boca por um e acariciada por todo o corpo pelo outro. uma pausa para o champanha e de volta a minha esposa, agora em posição trocada era o outro que a beijava na boca enquanto o segundo acariciava por baixo do vestido, talvez pela vivência deles, não sei, mas o mais incrível era que tudo acontecia na mais perfeita harmonia e sem atropelos, como se todos já se conhecessem há tempos, o que não era verdade. ainda conduzindo a brincadeira minha esposa num gesto rápido, mas delicado tirou sua pequena calcinha e a colocou no meu bolso com um sorriso maroto, voltou a ficar entre eles, mas desta vez com uma das pernas na poltrona expondo sua coxa e parte da buceta aos olhos e mãos deles, imediatamente um deles levou uma das mãos as suas pernas acariciando a batata e subindo até as coxas e por dentro do vestido até tocá-la, ficaram ali nos amassos uns minutos, quando começou a tocar uma musica lenta ela sem avisar foi dançar, deixando-nos de pau literalmente duro. no salão ela encontrou um rapaz para dançar com ela e ficamos apreciando os dois dançarem no maior amasso entre outros casais e o rapaz percebendo que ela estava sem calcinha enfiou a mão por baixo do vestido dela, e o levantava e descia ao seu bel prazer mostrando a bunda empinada da minha esposa a quem quisesse ver e ela aparentemente adorando a brincadeira, da mesma forma que a alça de seu vestido estava abaixada e seu seio exposto, sendo as lambidas nele revezada com beijos na boca. nesta altura da noite tudo era permitido numa festa fechada, alguns convidados pelados aproveitavam à piscina no calor da madrugada. minha esposa estava de costas para o cara que encoxava sua bunda enquanto ela nos olhava, excitados vimos o rapaz tirar seu vestido aos poucos, deixando-a completamente nua, apenas de sandália ali na sala que servia de pista de dança e no meio de várias pessoas que acompanhavam com olhares interessados em seu show erótico quase profissional.
não se agüentando mais, o novo diretor caminhou até o salão e começou a dançar junto deles, colocando minha esposa nua e de recheio entre os dois, ora bolinada por um, ora por outro. ela está novamente com dois homens como no começo da noite, e com a ajuda deles, foi tirando suas roupas até os dois estarem apenas de cueca e seus volumes enormes quase as furando, daí minha esposa se ajoelhou entre eles, massageando suas rolas e depois as soltando, fazendo-as chicotear em seu rosto, depois beija, masturba e chupa seus sacos e bolas até quase estourarem, depois já de pé ela apóia uma das pernas no ombro de um deles ficando com sua buceta aberta sendo chupada por um e depois pelo outro, deixando-a pingando de saliva e tesão, ai então sem nenhuma dificuldade, ela pesa pouco mais de cinqüenta quilos, eles a levantam e encaixam direto na rola grossa de um deles, que segura sua bunda e ela num só gemido tem sua buceta totalmente invadida, sendo ao mesmo tempo apoiada no peito do outro que a segura pelos seios. após levar várias estocadas na buceta nesta posição, com a mesma facilidade as posições são invertidas e agora é o outro quem mete sem dó na sua buceta. eu já estava na minha segunda punheta e acompanhava sua curra de perto juntamente com meu atual chefe. depois ela foi levada de volta para a poltrona, onde se sentou na rola de um, e chupando a rola do outro, novamente eles se revezam na buceta e na boca da minha gata, o mais velho já não agüentando quase uma hora de trepada, descarrega na boca dela quase meio litro de porra que a faz até engasgar, engolindo quase toda e deixando a rola dele limpinha. o rapaz não satisfeito quer ainda mais e apoiando-a de bruços no encosto da poltrona, pincela seu cu com a rola e faz sumir a cabeça dentro dele fazendo-a gemer alto e atraindo a atenção de alguns, inclusive dos garçons que apesar de discretos acompanhavam a curra da minha esposa, prensando-a contra a poltrona o rapaz enterra toda sua rola, que era a mais grossa das duas, no rabo dela e depois de várias estocadas acaba inundando o cu da minha esposa com sua porra, deixando-a quase desfalecida na poltrona. aproveitando a ocasião alguns ainda passam as mãos em seus seios e coxas, ela apesar de saciada ainda se deixa acariciar por duas ou três mãos antes de ser conduzida para uma suíte da casa para se recompor.
estava aguardando seu retorno, num dos jardins da casa conversando com uns amigos, quando a vi caminhar em minha direção, de banho tomado, cabelos molhados, já vestida e sorridente, mas sem sua calcinha que ainda estava no meu bolso, se aproxima me dá um beijo na boca, cumprimenta sensualmente as pessoas, depois nos despedimos de todos e fomos continuar a trepada em nossa cama e com muito tesão. albluci@bol.com.br