RSS contos eroticos

Conto Erotico Minha esposa, eu e o sobrinho - ii

Minha esposa, eu e o sobrinho - ii

quando estávamos quase dormindo, perguntei no ouvidinho dela o que ela achou do pau do moleque – ficou quieta depois disse que estava com sono e desconversou. meu pau já começou a pulsar e querer ficar duro novamente, encostei na sua bundinha, mordi seu pescoço e perguntei: - fala pra mim, o que achou daquele pau diferente do meu? gostou do que sentiu por baixo da calça? fala vai, se abre que eu não vou ficar invocado. ela só falou: é grande!
na noite seguinte deitamos depois de todos, ela deixou o abajur ligado e virou de frente para a beira da cama – eu fiquei deitado do seu lado, encachei meu corpo no dela para tentar ver o que acontecia, ou pelo menos ter uma idéia – tinha que tomar cuidado e fingir que estava dormindo, mas a pouca claridade no quarto ia me ajudar.
eram 02:00hs da madrugada, a porta se abriu e o silvio entrou no quarto. ele sussurrou – tia márcia... tia márcia... estou aqui, tá tudo bem?
- sim, o luis tomou o calmante e está dormindo mas não podemos fazer muito barulho.
eu entreabri os olhos e consegui ver o silvio em pé, de frente para minha mulher. ele estava só de cueca e o volume já dava para notar.
- tia, deixa eu ver esses peitos... você prometeu.
- tá bom, mas é só para olhar hein!!!
a márcia desabotoou a camisola e puxou para baixo, seus seios pularam para fora, enquanto isso eu aproveitei que do meu lado da cama estava bem escuro e fui passando a mão bem de leve na sua bucetinha (pedi que ela deitasse sem calcinha hehe) – já estava ficando molhadinha – fui passando o dedo de leve naquela rachinha melada.
- tia, posso passar a mão, só um pouquinho... puxa que coisa linda como é macio... cadê o biquinho?
- ai silvio, para com isso, era só para olhar... sshhh não fica mexendo aiiii.
minha mulherzinha estava ficando com um baita tesão, já estava respirando pesado. meu pau parecia que ia explodir, estava olhando outro cara passar a mão na minha mulher e ela estava gostando, e eu também.
- achei, que biquinho lindo... duro... tia eu quero dar um beijinho neles... deixa?
- huummm só um beijinho... não demora ssshhhh hummm isso beija gostoso, de leve hummm.
já estava com dois dedos enfiados naquela buceta, meu pau estava pulando.
- tia, que coisa gostosa. seus seios são maravilhosos e esses bicos são deliciosos... me dá um beijo.
márcia nem respondeu, abriu a boca e deixou o moleque enfiar sua língua... e eu lambendo seu pescoço, bem devagarzinho enquanto encaixei meu pau entre suas nádegas.
- tia, quero outro beijo... mas não na boca.
ele ficou de pé e baixou a cueca... caralho a márcia tava certa: é grande!!!
- não silvio, você ficou louco... isso não!
- tia, por favor, não estou agüentando mais e não sei quando isso vai acontecer de novo. o tio tá dormindo, por favor olha o que a senhora fez comigo!
o pau do moleque era enorme, estava duro e apontava para a márcia como uma flecha, melhor, como um canhão grosso e pulsante. ele colocou o pau sobre o seu rosto, deixando o saco na direção de sua boca. o pau do cara estava pulando, e o meu também... fiquei apertando o meu contra a bunda da márcia e senti que ela estava tremendo, era puro tesão misturado com medo pela situação sei lá... mas estávamos, os três, a ponto de explodir de êxtase.
márcia não agüentou mais e começou a lamber o saco do silvio, ele fechou os olhos e começou a gemer. pelo barulho que estava fazendo, deduzi que ela estava babando naquele saco inchado e duro.
silvio se afastou e apontou a cabeçorra do pau para a boca da minha mulherzinha, ela é claro abriu e deixou... ele foi enfiando devagar, primeiro a cabecinha (modo de falar, parecia um cogumelo) depois até onde conseguiu, o que não foi pouco, como eu disse, a márcia sabia fazer uma chupeta perfeita, e foi engolindo e chupando e babando...
o silvio começou a dizer coisas sem sentido e segurou a cabeça da márcia, fazendo movimentos de vai e vem. aquele embalo chegou até mim, meu pau já estava todo melado, assim como a bundinha da márcia.
sem querer, ficamos os três naquele movimento, se esfregando um no outro, eu na márcia, o pau do silvio na boca da márcia, a bunda da márcia no meu pau.
então ela começou a se masturbar e a tremer. tirou o pau do moleque da boca e disse:
- não goza na minha boca, goza nos meus peitos.
não deu nem tempo, silvio apontou aquele canhão para os seios dela e despejou uma quantidade enorme de porra, gozava como louco, não parava mais.
a márcia também gozou, gemia e gozava e apertava meu pau com sua bunda... também não agüentei e gozei no seu rabinho... tive que me controlar para não me mexer e o silvio não perceber... gozei gostoso.
ele tirou o pau dos peitos da márcia e pediu:
- tia dá um beijinho nele, já acabou, não tem mais nada... dá um beijinho de boa noite.
não sei o que deu na márcia porque ela sempre foi meio nojenta com essa coisa de gozar na boca – não gostava nem de ver essas cenas nos filmes – mas mesmo assim deu um beijinho no pau dele. ele aproveitou e enfiou aquele cacetão todo melado na boca dela e ela chupou tudo.
antes de sair ele deu um beijo na boca da minha mulher e disse:
- tia, obrigado, foi maravilhoso... precisamos conversar depois e combinar uma próxima vez. tchau.
quando ele saiu do quarto, ela se virou para mim e mostrou os peitos, bicos duros e melados de tanta porra que até escorria, se encostou em mim e eu lhe dei um longo beijo na boca e disse:
- acho que vamos ter que bolar outra dessas, boa noite.
- boa noite amor.