RSS contos eroticos

Conto Erotico A menina do shortinho rosa

Antes que alguém diga que esta história é só mais uma entre tantas que já viram, tenham a absoluta certeza de que é verídica.
esse episódio se passou em uberaba-mg.
meu nome é pedro, tenho 29 anos, trabalho com informática, sou designer gráfico e toda minha vida gostei de criar desenhos legais, anúncios, peças publicitárias enfim. mas tenho um vício prazeroso, adoro pornografia, quando estou na internet, estou passeando pelo maior numero de sites que posso para ver aquelas garotas lindas, gostosas, com carinha de safada nos mais variados gêneros de sexo. agora, o maior dos meus fetiches mesmo são as gozadas...gosto de todos os tipos, mas principalmente gozadas na bunda..nossa!!!, só de escrever já fico de pau duro. amigo, acho a coisa mais gostosa de se ver, uma menina toda melada de porra, nos peitos, nas coxas, na bunda. ao contrário do que inunda a internet, não gosto muito de gozadas na cara, só sabem mostrar isso!
moro sozinho num bairro tranqüilo aqui da cidade, e como minha rotina de trabalho não me da muito tempo para relaxar, saio cedo e muitas vezes não tenho hora para voltar. agora, milagre, tenho um fim de semana livre, dois dias para ficar totalmente à toa. a primeira coisa que pensei, alugarei uns filmes pornôs e vou relaxar, pois estava precisando.
quando estava a caminho da locadora, que ficava próxima à minha casa, tive uma visão das mais lindas, uma menina sentada na calçada da casa onde morava, mas espera aí, como nunca tinha reparado naquela menina, talvez por minha rotina, distração, sei lá, mas o fato é ela estava ali para que meus olhos pudessem contemplar. era maravilhosa, morena, de cabelos castanhos claro, boquinha carnuda, seios perfeitos e...que coxas!!! quando estava pensando como seria sua bunda, ela se levantou, ahhhh!!! que coisa deliciosa, era empinada, redondinha, ainda mais dentro daquele shortinho rosa, que deixava boa parte de suas nádegas de fora, engoli seco quando ela pôs uma das mãos em seu reguinho para puxar a calcinha que tinha entrado. quase gozei ali.
essa menina deve ter uns 13 ou 14 anos, pensei comigo, mas com um corpo desse!!!, ela notou que eu estava olhando para ela, e me deu de presente um sorriso e entrou.
ainda meio atônito, fui até a locadora, e quis de qualquer jeito achar um filme que tivesse uma menina mais parecida com aquela que acabara de ver. encontrei umas parecidas e levei.
chegando em casa, coloquei o dvd e olhava aquela garota fazendo tudo com aquele cara e imaginava o rostinho da menina na atriz, seus gestos sua boca, suas coxas, sua bunda, imaginava tudo. naquele dia me acabei na punheta.
no dia seguinte, acordei tarde, vi que não tinha pão para tomar um café, então saí para buscar. assim que fechei o portão e me virei, lá estava ela passando de bicicleta na minha frente, estava com aquele delicioso shortinho rosa, exibindo tudo de bom que ela tinha, me cumprimentou e foi passando. em cima da bicicleta, sua bunda ganhou mais volume, ficou mais empinada. quando passou, fez aquele gesto que muitas garotas fazem, muitas por distração, outras por provocação mesmo, passou uma das mãos na bunda, dando uma alisada de leve. estava atordoado com aquela visão, mas precisava me controlar. fui até a padaria.
estava terminando de tomar meu café, quando a campainha tocou. quando abri a porta, não acreditei no que via, a menina do shortinho rosa parada no meu portão, esfreguei os olhos e olhei de novo, estava lá mesmo. ela sorrindo, me deu um bom dia mais meigo do mundo e disse que precisava de um favor, no que disse:
- você meche com computador?
ainda surpreso, disse sim !!!
- acho que meu computador estragou, será que você pode ir dar uma olhada?
ali, naquela hora, ela não pedia, mandava. fui lá dentro pegar minhas “coisas” e quando voltei ela já estava indo um pouco à frente, no que pude contemplar mais uma vez como era gostosa, só que agora em movimento, com leves reboladinhas, que tornavam ainda mais mágico aquele shortinho rosa, ali só tinha olhos para ela.
chegamos à porta de sua casa, de costas para mim, virou-se e disse: entra.
ainda meio abobado com o convite, percebi que não tinha ninguém na casa, estava sozinha, seus pais havia saído para um churrasco da empresa onde trabalhavam.
ela me levou até seu quarto, onde ficava seu computador, ela sentou-se na cama, cruzou suas pernas e não disse mais nada. meio sem ação, mas procurando ser o mais profissional possível, lhe perguntei o que estava acontecendo com a máquina, então disse:
- não sei, acho que não quer ligar.
meio desconfiado, a primeira coisa que fiz foi ligar o micro, no que decorria a inicialização, percebi num primeiro momento que não havia nada de errado com este. ela disse: - nossa, você é bom mesmo, comigo ele não queria ligar.
antes que pudesse dizer algo, ela me pediu para olhar a sua internet também, dizendo:
- a internet não entra, você olha também?
sentei e fiz a conexão, já percebendo que estava tudo normal. abri o navegador, e tive uma surpresa que me deixou sem fala, a pagina inicial de seu navegador abre um site pornô, com todas aquelas fotos bem na capa. fiquei totalmente sem jeito, fechei a página imediatamente e quando ia me levantar, ela segurou em minha mão e falou:
- você gosta de pornografia?
disse, meio gaguejado:
- acho difícil um homem não gostar. você gosta?
com um brilho nos olhos, disse:
- adoro, fico muito excitada.
nessa hora, diante do rumo que nossa conversa ia tomando, passaram muitas coisas pela cabeça de cima, onde teria que ter juízo, que era só uma menina, que não deveria dar ouvidos e sair da mesma forma que entrei. mas a cabeça de baixo já descordava, não se agüentava mais, estava prestes a explodir de tão dura.
ela disse: - senta aqui, vamos ver algumas páginas.
sentei do seu lado e ela comandava o mouse, ia em todas as sessões: grupal, oral, vaginal...notava que ficava vidrada em tudo que via. mas notei que gostava mais de duas sessões: anal e...gozadas. ficava com tanto tesão que mordia os lábios e me perguntava:
- você gosta de bunda?
o mesmo que perguntar se um rato gosta de queijo.
- o que você acha da minha?
ela se levantou e ficou de costas pra mim e empinou sua bunda em minha direção e completou:
- ela não é gostosa? pôe a mão para você ver como é firme e lisinha.
não acreditava no que via e ouvia. sem piscar fiz o que me pedia. era uma visão do paraíso, e como era macia sua bunda. dias atrás estava só na vontade, agora estava ali desfrutando de tudo aquilo.
passava a mão por toda sua extensão, nas coxas, não perdia um milímetro. no que ela confessou:
- coloco esse short porque fico mais gostosa, sei que os homens me olham e vi como você me olhava na rua, fico muito excitada com isso.
enquanto falava, foi sentando devagarinho em meu colo, dizendo: - sente a minha bunda!
e rebolava lentamente. eu estava explodindo de tesão, ela sabia enlouquecer um cara.
ainda de costas pra mim, ela disse:
- quero te dar minha bunda, mas quero que faça uma coisa...
mal esperei terminar a frase e falei: peça o que quiser, sou seu agora, faço o que quiser...!!!
- quero que meta bem devagar e quando for gozar, tire do meu cú e goze em cima da minha bunda, quero que me lambuze de porra, promete.
- você gosta de porra?
- adoro quando o homem goza e lambuza as mulheres, me dá um tesão...!!!
levantei e ela sentou na cadeira e, abrindo meu zíper tirou meu pau para fora, com certa dificuldade de tão duro que estava.
olhava para ele maravilhada, batia punheta de leve, com cuidado, queria aproveitar o máximo daquilo. em seguida começou a dar beijinhos e lambia como se fosse um pirulito, aquele pau para ela parecida a coisa mais preciosa do mundo, só tirava os olhos dele para olhar a minha reação a cada beijo que dava. estava à beira da loucura de tanto tesão.
de repente, levantou-se meio afoita, abrindo a gaveta de sua cômoda, pegou um creme hidratante e disse para eu passar no pau. enquanto lambuzava meu pau com o creme, ela foi tirando a roupa, mas só ficou com o shortinho, no que perguntei:
- não vai tirar?
ela, já ficando de quatro na cama, respondeu:
- antes de tirar, quero te enlouquecer mais um pouco, quero muita porra saindo desse pau. esfregue esse cacete na minha bunda, acaricie minha bunda com o pau agora!
atendi seu pedido, esfregava minha pica em sua bunda como um louco, batia em sua bunda com ele, forçava meu pau na direção de seu cú por cima do short. ela rebolava de tesão e dava gemidinhos.
não agüentando mais, praticamente arranquei aquele short e vi aquele cuzinho que tanto desejava, estava lá, piscando de tesão pra mim. peguei mais um pouco de creme e passei naquele buraquinho e aproveitei para espalhar um pouco em volta de suas nádegas. não acreditava que ia por meu pau ali, naquela bunda que tanto desejei.
comecei a enfiar, ela olhava para trás como se não quisesse perder um momento daquilo, ela passava a mão na bunda, alisava e dizia:
- mete! mete! goza na minha bunda. descarrega toda a sua porra em mim !! vai! vai!
parecia não se incomodar com o tamanho do meu pau, com a dor, tudo era prazer e tesão. metia cada vez mais rápido, e ela urrava e rebolava como uma louca.
aí eu disse:
- vou gozar agora !!!
- vai! me lambuza toda de porra! vai! vai!
quase explodi dentro dela, tirei meu pau rápido e comecei a gozar em sua bunda, gozava, gozava, gozava, parecia que não ia mais parar. ela olhava para traz e assistia tudo, de olhos arregalados, de tesão e satisfação. ela via tudo aquilo a parecida não acreditar que tudo saiu de mim.
então ela começou a passar a mão na porra e espalhar por todo o corpo, coxas, peitos, rosto, barriga...!!! foi demais, nunca iria esquecer aquilo.
tomamos banho juntos e nos despedimos com a promessa de um dia repetirmos a festa e nos lambuzarmos de tesão.