RSS contos eroticos

Conto Erotico Apertadinho no carro.

Me chamo Willian e esse é meu primeiro conto, tava aqui atoa no pc, servidor do diablo meio parado resolvi escrever. Todo mundo me chama de Will, tenho 27 anos por volta de 1,85 de altura, 87 kilos e um corpo legal graças a natação que praticava , cabelo castanho claro na pouco abaixo dos ombros, olhos também castanhos. Faço parte de uma banda que toca Rock e um pouco de New Metal, eu toco baixo e as vezes faço o vocal também, e essa história começou no showzim que tava fazendo em um barzim. Moro no interior, onde 88% dos locais só tocam pagode e sertanejo. Ai fica dificil arranjar um local pra mandar um som maneiro e se divertir. Tem só um barzinho que rola uns sons de rock e toco la as vezes, tipo pessoal todo da cidade que curte um som legal vai pra la. Era sexta feira e o show tava marcado pra meia noite a gente já tava la testando os instrumentos quando a Larissa chegou com uns amigos nosso, fazia muito tempo que tava de olho nela, ela faz bem meu tipo “menininha” não essas fresquinhas noias que tem por ai, mais tipo magrinha pequenininha que se eu não soubesse a idade dela diria que tem uns 15 anos (mais não ela não tem 15, tem 21 eu não sou pedofilo ela só parece ser mais nova)ela é tipo geek mais não aquele tipo timida. Meu sonho de consumo, mais a gente sempre foi só amigo, até então fazia um mês que ela tava solteira. Logo eles já vieram nos comprimentar e quando ela me abraçou não consegui não comentar porque já fazia parte da turma zoar ela por causa do vestuario. _ Ta de sapato... Não da pra por meia combinando com sua blusa do mickey. (Ela tava com uma calça justa preta um sapato desses de menina de salto fino que doi quando pisam no nosso pé e uma blusa preta do mickey com um decote) Ela me empurrou e me chamou de tapado e foi saindo. Puxei ela de volta segurei ela na cintura e levantei ela um pouco pra falar no ouvindo dela: _ Prefiro sem o salto, você tem o tamanho ideal. Ela estranhou um pouco e ficou meio sem reação, mais logo a chamaram e eu fui tocar. A casa não tava muito cheia intão tava pra verificar ela a todo momento, teve um babaca que chegou nela mais pelo jeito levou um toco. Ela disfarçava mais sempre voltava a me encarar também e foi assim até o show terminar, pouco notei as marias palhetas me dando moral guardei o baixo e fui pra mesa da Larissa e do pessoal. Sentei do lado dela e de forma intencional coloquei meu braço envolta dela porque o babaca ainda tava encarando. Conversamos um bom tempo e quando a carona dela chamou pra ir embora eu me ofereci pra leva-la e pra minha surpresa ela aceitou. Logo o restante do pessoal na nossa mesa foi embora e a gente resolveu ir também já eram umas 4 da manhã e tavam fechando, abracei ela e ela retribuiu e assim que entramos no carro ela falou: _ Isso é estranho Will, tinha pelo menos umas três garotas la te secando a noite toda e você sai abraçado comigo. Ela não tinha noção de como eu me sentia, como ela me dava tesão, a barriga sequinha os peitos pequenos a bundinha pequena e empinadinha o tamanho perfeito pra eu pegar ela no colo e manusear eu era super a fim dela. Intão eu disse: _ Mais você é melhor que todas elas. Ela riu e rebateu: _ Aham... E você acha que essa cantada cola em mim? Destravei meu cinto que tinha acabado de colocar segurei ela pela nuca e me aproximei: “_ Eu acho”. E a beijei, de inicio ela ficou supresa mais depois retribuiu o beijo. Me afastei um pouco e quando voltei a beija-la foi o melhor beijo, ela deu uma acelerada e depois deu umas mordiscadas no meu beiço que me deixou duro ali na hora. Meio sem folego ainda afastei meu banco do motorista no maximo e voltei pra ela beijando e trazendo ela pro meu colo (ela tinha o tamanho perfeito eu falei) ela encaixou certinho e a gente ficou ali meio apertadinho e se roçando. Levantava a minha virilha pra ela sentir meu pau pulsante enquanto subia uma mão e apertava os peitos dela. Ela dava uns gemidinhos na minha boca, vazia uns movimentos de vai e vem apertando nossas virilhas e raspava as unhas na minha nuca conforme eu apertava os peitos dela. Peguei a mão dela e coloquei no meu pinto duro igual pedra lutando pra sair da calça ela deu uma apertadinha e eu tentei falar: _ Vamos pra outro lugar. Mais saiu meio gemido, meio chorado. Acho que ela entendeu, porque ela saiu do meu colo e passou sem muito esforço pro banco de traz o que seria impossivel pra mim. Então desci do carro dei uma olhada na rua que estava fazia tirando o garçon que fechava o barzinho da esquina, mais era uma rua escura e meu carro tinha insufilme, voltei pra dentro e travei as portas. Me encaixei por entre as pernas dela e voltamos a nos beijar. Apesar dela ser pequena o espaço tava pouco pro meu tamanho, o que deixava as coisas ainda melhores porque a gente ficava mais proximo. Tiramos nossas calças e ela desceu minha cueca enquanto eu sentava no banco e ela se abaixava pra me chupar. Lambia meu pau que parecia que iria explodir de tanto tesão e passava os dente em toda extensão o que me dava calafrios de prazer. Voltei ela pro meu colo e tirei sua blusa e sutiã comecei a chupar seu peitinhos e morder os biquinhos e esfregando ela ainda de calcinha no meu pau. Ela se contorcia, gemia e alizava meu pinto por entre sua pernas, apertando ainda mais nossos sexos juntos. Girei ela pro lado só pra tirar a calcinha e voltei ela pro colo, dessa vez entrando até o talo num só movimento de tão encharcada que ela tava. Pra conter o grito ela mordeu o meu ombro o que me fez urrar de prazer. Ela cavalgava e eu apertava seu traseiro e levantava a virilha com força. Ficamos nessa posição até que ela gozou, ela encostou a cabeça no meu ombro e gemeu me mordendo e apertando meu cabelo. Não aguentei segurar mais e em mais um movimento levantando a virilha esporrei tudo na bucetinha dela. Ela me apertou por mais um tempo desceu do meu colo e se sentou do meu lado, eu virei e a beijei. Foi um beijo ofegante e suado. Falei que a levaria pra tomar um banho, vesti apenas a calça e ela só a minha blusa passamos para o banco da frente. E não aguentei ela toda pequenininha ali só com a minha blusa, as pernas branquinhas de fora meu pau já mostrou sinais novamente. Comecei a beijar ela de novo e ela me correspondendo o beijo acelerado de desejo, foi ela que se afastou e me mandou ligar o carro. Obedeci mais continuei alisando as coxas dela e subindo a mão pra apertar sua bucetinha molhadinha ela gemeu. Virou-se para mim e desabotoando a minha calça libertou meu pinto e começou a chupar. Mais não dava pra continuar assim porque atrapalhava a mudar de marcha. Ela percebeu isso e lambendo os labios se afastou colocando as pernas no banco e me dizendo: _ Não é legal começar as coisas se não pode terminar e nem fazer direito. _Eu que o diga né. Ri e tentei avançar a mão nela de novo ela me mordeu e depois beijou meus dedos. Serio que quase gozei com essa visão. Mais conseguimos chegar ao nosso destino sem lambuzar também os bancos da frente. Nos seguramos até chegar no motel. ...

Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.