RSS contos eroticos

Conto Erotico Com o priminho

Oi gente ,vim mais uma vez relatar uma experiencia sexual que aconteceu comigo , a mai ou menos um mes , eu estava insegura , se deveria relatar , e só agora decidi relatar ... pois bem , eu tenho um primo Adriano (nome fictício ) ele mora em outra cidade , ele é muito bonito , 1,70 olhos castanhos , cabelos pretos mais ou menos um 65kg , 18 aninhos .Até então eu nunca tinha olhado com segundas intençoes para ele , sempre o vi como um ente querido. Há mais ou menos um mes e meio ele tinha me avisado que viria passear aqui (na onde eu moro ). A princípio fiquei super feliz , rever meu primo (que não via a um ano e meiio ) e tal´s.Ele veio pra cá se surpreendeu quando me viu , disse que eu estava muito bonita, ficou hospedado aqui em casa , até ai , nada de mais . No segundo dia de visita , ele queria muito conhecer a cidade , e pediu pra mim mostrar.Ele estava de carro , combinamos de sair bem de tarde , pois era quando começava o movimento. Minha mãe deixou eu ir ( por incrivel que pareça ) sem reclamar , talvez por ele ser da familia e tal ... Deu umas 6:30 da tarde , ele pegou o carro , e nós saimos, dentro do carro n´s permaneciamos calados , até que ele tentou puxar assunto : -Então né , você esta muito bonita .... prima. Eu repondi :- Obrigada , você também não é de se jogar fora , PRIMO . Sempre nos tratamos com muito carinho e respeito , mais alguma coisa me dizia que isso ia acabar ali ...Rodamos um pouco com o carro , áté que paramos em um ``barzinho`` ele tomou umas 4 ou 5 latinhas de cerveja , e começou a ficar "alterado" (é ele é fraco pra bebida , puxou meu tio ) como percebi sua "fraqueza" achei melhor irmos embora : -Adriano , vamos embora , ja bebeu demais. ele respondeu : -Qué isso priminha ?toma uma comigo ! eu disse : -Não , obrigada não bebo . ele: -Ah, vai toma só uma e nós vamos embora. Aceitei , pensando que ele cumpriria a palavra,tomei uma (argh que gosto ruim tinha kkkk) Então nós fomos passear mais um pouco, ja começava anoitecer , embarcamos no carro pra irmos embora , no meio do caminho senti , que ele passou a mão na minha perna ( eu estava de shortinho ) aquilo me deu muito tesão , mais pensei "Não , não posso ele é meu primo" tirei a mão dele tentando agir o mais natural possivel... ele: -Prima me da um beijo ? eu: -Ah sim , pra já (rindo) sinto que ele se debruçou por cima e mim e me deu um beijo , que me encheu de tesão . Fiquei surpresa e perguntei : Por que você fez isso ? ele: -Por que você esta muito gatinhaa rsrsrsr EU: -HA HA HA . engraçadinho . acelera esse carro e vamo embora . Coloquei o fone de ouvido e virei para o canto (meio desconfortavel por causa do cinto ) : fechei os olhos ...Senti sua mão me alisando : ele: -nossa que bundinha linda vocÊ tem , deve ser uma delcia . Senti um tesão enorme e pensei :QUE SE FODA SE ELE É MEU PRIMO!Olhei pra le com uma carinha sapeca , e disse : -quer tirar a prova ? Ele apenas sorriu , entrou e uma rua escura estacionou o carro , deitou sobre mim e começou a me beijar. Eu comecei a corresponder , ele passou a mão por todo meu corpo , minha calcinha ja estava toda molhada de tesão ...Ele tirou minha blusa...MEU celular tocou , era minha mãe , mandando eu ir embora que ja era tarde , eu obedeci . Sorri pra ele e disse :- HOJE A NOITE. Ele meio emburrado , me levou pra casa. Chegamos em casa , jantamos e fui "dormir" . Quando todos foram dormir , eu deixei a porta do meu quarto destrancada , deitei só de camiseta (sem nada por baixo ) deitei de brusos , abri de levinho as pernas e esperei. Não demorou 15 min. ele apareceu , ja foi me beijando , tiramos a roupa , ele me jogou na cama e começou a me chupar eu gemiia baixinho , (pra não acordar ninguem) ele colocou a cabecinha do seu pau na minha chaninha , tapou minha boca , e socou de uma só vez , eu senti uma dor e um prazer enorme , ele socou socou socou , até que gozou la dentro . me virou de costas e comeu meuu cuziinho. Foi maravilhoso eu amei , e não vejo a hora de dar pra ele de novo .
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.