RSS contos eroticos

Conto Erotico Descabaçada e chantageada por dois velhos canalhas.

Não esperava minha primeira vez assim, mais que... foi foi! Eu ainda menina, tinha acabado de completar meus 15 aninhos, media 1,70 e 58 kl. o que me fazia uma gostosura. Com seios pequenos que cabiam na mão e um bundão de enlouquecer, coxas grossas e calelos longos cor de mel. Tinha carinha inocente (e era) pois só tinha dado uns beijinhos na boca e nada mais. Gostava de ver as revistas de sacanagem que minha tia deixava em baixo da cama, ficava molhadinha lendo contos eroticos, mais nunca cheguei a tocar em um pau antes. Tinha rostinho de menina e corpo de mulher, me vestia com naturalidade e sem querer ser sensual, mais de aniversario ganhei de presente um conjunto de malha, top e short, não me senti bem ao vestilo, o top só cobria os seios e tinha uma alça fininha e o short era uma piada, mal tapava a bunda, ficava mostrando a 'popinha' e como tinha um tecido fino marcava todas as curvas e a brechinha da buceta. Não queria usar mais minha mãe falou que estava linda e estava tão calor e ele era bem fresquinho, acabei usando, ai começou meu azar, pois os homens do bairro (pequeno e que todos se conheciam) perceberam que não era mais uma menininha e sim uma mulher e uma mulher bem gostosa. Dois conhecidos do meu pai estavam sempre por perto, eles moravam a poucas casas da minha e me conheciam desde criança. Um deles tinha por volta dos seus 45 anos, seu Tião, era alto e barrigudo, tinha uma barba mal feita e era do tipo grosseiro, motorista de caminhão vivia viajando. O outro mais novo era seu primo, Leco, tinha 33 quase a idade do meu pai, eles eram amigos de juventude e trabalhavam na mesma fabrica, seu tião e leco dividiam a mesma casa para economizar nas despesas. Naquele dia com aquele conjuntinho notei ser desejada, não prestei atenção nos velhos, mais em um garoto que estava afim a um tempão, ele veio conversar e dizer que estava lindona e coisa e tal, fiquei tão feliz...... Minha felicidade ia acabar uma semana depois. Era um sabado e levantei animada para mais um dia de sol, coloquei uma camiseta e uma saia rodada floral que eu adorava, não era muito curta batia no meio da coxa e ficava lindinha com ela. Por baixo coloquei um biquine pois sabia que em dias de sol eu e minha turma sempre iamos tomar banho de rio. Tomei café e fui para rua encontrar o pessoal, como já tinha imaginado fomos dar umas voltas e antes de voltar para o almoço fomos nos refrescar no rio, chegando num ponto onde o rio era ideal para banho estava por lá já outros jovens inclusive o garoto que eu estava afim. Conversamos um pouco e decidimos entrar na agua juntos ele foi me puxando pela mão, meu biquine era totalmente decente, afinal eu era uma menina decente, meu amado ali de sunga me segurando pela cintura, de repente um beijo fui ao céu, ele me apertou em seu corpo dentro da agua e comecei a sentir uma pressão vindo da sunga dele, o pau pulsava e ele apertava contra minha bucetinha, pela primeira vez senti um pau ali me querendo, me forçando e me deixando molhadinha (e não era da agua não rsrs) ficamos um pouco nesse pega pega afastados dos amigos, mais logo paramos e ao sair da agua vi que os amigos do meu pai estavam na estradinha do outro lado do rio, fiquei com um medo danado de eles contarem pro meu pai que me viram com um 'namorado'. Quanta inocencia..... Cheguei em casa para o almoço, meu pai não estava, almoçei e minha mãe pediu pra eu procurar meu pai por ai. Logo encontrei leco e perguntei se ele tinha visto meu pai e ele disse que ele estava na sua casa com tião e ele estava indo comprar uma cerveja pra eles, pedi para avisar que minha mãe estava chamando e ele me mandou ir lá chamar pois ele podia demorar um pouco, fui sem maldade nenhuma pois não seria a primeira vez que meu pai estava lá e sempre aproveitava para tomar um refrigerante na caso do 'tio' tião. Cheguei no portão e gritei ninguem respondeu, abri e entrei chegando na porta tião me grita para entrar na casa, fui numa boa e vi que meu pai não estava lá e que leco chegou logo atrás de mim, eles logo foram dizendo que me viram no rio e que não era certo ficar de agarramento com garotos, e se meu pai fica-se sabendo daquilo o que ia dizer! Já meio chorando respondi que não tinha feito nada de mais e eles retrucando que viram o garoto só de sunga me passando o pau e que devia ter feito ainda mais, chorei e disse que não era verdade e que não tinha passado de beijo, eles continuavam insistindo e agora de forma grossa falaram que ele deve tinha me comido ali no rio. Eu espantada disse não, eu sou virgem!! Rindo falaram que nada vc gosta de pau safadinha, só ai percebi a casa toda fechada e que eles estavam com um olhar faminto. Tirando o pau pra fora leco perguntou se ainda não tinha visto um daquele, chorando disse que não e ele me levantou do sofa me virou de costa e esfregou na minha bunda, tentei me soltar e tião me segurou pelo braço me arrastando para o quarto, falou que ia fazer um exame pra conferir a virgindade, eu chorava sem parar enquanto ele amarrava meus punhos na cabeceira da cama. Tiraram minha saia e a calcinha rindo e dizendo que gostosinha é essa puta, tião era muito nojeito parecia sempre sujo, leco me segurou a perna enquanto o nojento se aproximava da minha bucetinha cabeludinha mais com um pelinho fino de menina, me mandou relaxar que não ia doer, abriu os labios vaginais com cuidado e ficou olhando e cheirando minha xereca, passou a lingua bem de leve e riu olhando para leco rharahararaah, não é que a putinha não é putinha e ainda é virgem, leco soltou minhas pernas dizendo vc é um velho burro nem sabe mais reconhecer uma virgem! deixa comigo. Deitou entre minhas pernas e como o primeiro abriu minha buceta com os dedos e começou a enfiar a lingua o mais fundo possivel, nesse instante tião tapava minha boca com as mãos já que chorava e tentava gritar. Leco começou a enfiar bem devagarzinho o dedo na xereca ele ficava me olhando e dizendo, é realmente é verdade acho que aqui ainda tem cabaço. Se afastaram um pouco e começaram a conversar e agora o que vamos fazer, olhando para mim tião falou, ue famos rancar esse cabacinho nós mesmos e voltaram a rir como dois malucos eu ali amarrada, morrendo de medo, eles sairam do quarto e logo voltaram com uma camera fotografica, abriram as minhas pernas e começaram a fotografar minha buceta, meus seios colocados pra fora da blusa, enfiando os dedos na beirinha e com o pau de leco encostado perto da minha boca. Perguntei pra que isso e eles responderam, para garantir seu silencio, agora relaxa e aproveita....... Os dois homens ali, para mim dois velhos, pelados e de paus duros, leco tinha um piru normal, mais o velho nojento do tião parecia um jumento um pau grosso e escuro que mal ficava para cima, não sei se por conta da idade e mal estado de saúde, dava pra ver que ele não era nada saudavel ou por ser grande de mais. Eles começaram a me alizar eu gritei e tomei um belo tapa na cara, como ardia, e se quise-se apanhar mais era só gritar de novo diziam, mais se ficar boazinha iam ser carinhosos, optei por ficar quieta e evitar mais sofrimento. Fechei os olhos e senti aquelas mãos grossas tocando meu corpo, apertando meus seios e cada um chupava um bico, leco era amoroso lambia e chupava com cuidado dando voltinhas com a lingua, enquanto tião mordia, chupava com força e apertava até doer, começaram a revezar na chupada da buceta primeiro tião que parecia um porco faminto chegava fazer uns barulhos estranhos, passava a lingua, enfiava, mordia e babava toda a minha buceta falando a quanto tempo não comia algo assim tão gostoso e cheiroso não tinha nem comparação com as putas que ele pagava, leco da um empurrão e passa o lençou na minha xeca e começa a lamber também, aqui devo confessar que comecei a gostar, sentia o calor da boca dele com o calor da minha xeca e comecei a melar, percebendo isso ele olhou pra mim e falou, ta gostando né, to sentindo o gostinho de gozo vindo da sua buceta, nisso tião passa aquele pau gigante na minha cara e fica tentando enfiar na minha boca, não sabe com faz não é falava ele, deixa que te ensino. Começa a forçar aquilo na minha boca eu não queria abrir estava com nojo mais ele apertou minha boxecha e me fez abrir um pouco a boca então ele enfiou e pegou no meu dente ele me deu um cascudo e mandou deixar a boca mole e se doer de novo eu ia ver, leco mandou eu fazer direitinho, se levantou e pos o pau do meu lado dizendo calma vc ta assustando ela, com carinho me beijou os labios pediu que coloca-se a lingua para fora e começou a chupa-la, viu é assim e colcou novamente o pau na minha boca agora faz direitinho e tião também quis, como era grande não conseguia por tudo e ele forçando e forçando e forçando até minha guela enchendo minha boca de porra, cheguei a me engasgar. Leco sacaniou tião dizendo que agora ele ia ser o primeiro a comer minha bucetinha, ia rancar o cabacinho, tião começou a punhetar aquele pau molengo mais não ficava duro, kkkk ria leco de pau durinho na mão, ele se encaixa no meio das minhas pernas e encosta o piru na beirinha olha nos meus olhos e diz relaxa você vai gostar, começou a forçar gostoso pondo a cabecinha e mexendo com calma foi forçando eu senti dor e gemi ele parou e recomeçou após eu relaxar sentia ele entrando em mim pouco a pouco ele me disse que teria carinho afinal me viu bebezinha e me fazer mulher ia ser delicioso, ele mexia gostoso e comecei a rebolar também, aos poucos sentia que já não faria mais diferença agora era aproveitar minha 'primeira vez' de repente o pau da uma garrada e parece não querer passar leco força e eu grito, aiiiii, agora sim é putinha, roupi seu cabacinho e voce é toda minha, sinto ele socando cada vez mais fundo doia um pouco mais ao mesmo tempo era gostoso ele mexia e me fazia delirar num entra e sai frenetico até que sinto todos os meus musculos se contrairem e eu gozo bem gostoso enquanto sinto leco jogar porra dentro da minha buceta. Tião fica puto dizendo que ele estragou a racha que tinha que ter 'cospido' fora, ele já com aquela bengala dura novamente solta meus braços e me pões de pé, sinto porra misturada com sangue descer pelas minhas pernas, filho da puta leco que cara de sorte olha o sangue do cabaço estourado, e eu ainda duvidando, mais agora que voce já é puta vai sentir o que é uma rola de verdade te traçando!!! Ele me joga na cama e puxa minha bunda pra trás me pondo de quatro eu tento sair ele me puxa de novo e senta o dedo no meu cu, grito de dor e ele diz fica aqui bonitinha ou arrebento esse rabo, com medo logo levantei meu rabo e me pus de quatro na beirada da cama tião enfiou aquela pirocona toda de uma vez eu saltei para frente mais logo me pus no lugar de novo, parecia que estava me arrancando o cabaço de novo como doia e ele socando sem dó nem piedade, as vezes o barrigão dele atrapalhava o pau dele entrar mais ele socava com tudo eu gritava e gemia, gente aquele pau era enorme parecia me acertar no utero ele começa a enfiar o dedo no meu cu eu peço pra parar ele põe outro e continua metendo e metendo enquanto forçava meu cu, mais ele não aguenta é goza tudo na minha buceta. Eles me colocam em pé novamente e tiram outra foto agora com a perna suja de sangue e porra dizendo que se eu contace para alguem eles colocariam aquelas fotos na internet e em tudo que é poste da cidade. Concordei em não falar nada fui no banheiro me limpei e antes de sair leco me segura pelo pescoço e me da um beijo, tião tambem me puxa mais fala baixinho: na proxima vamos arrombar esse cuzinho..... Fui pra casa tomei banho e não falei nada pra ninguém, um dia em casa leco bate a porta e, e isso é outro conto mais que.... especial. *Se gostou comente, para me inspirar mais e mais* Se não gostou vá fuder que é bem melhor, kkkkK



Gostou? Então Compartilhe!