RSS contos eroticos

Conto Erotico Descabaçando vanessinha - continua


...fiquei fascinado com o que havia acontecido, aquela ninfinha me chupando e conhecendo os prazeres do sexo.
nos dias seguintes me lembro que ela foi sempre com o irmão, não dando oportunidade de continuar nossa brincadeirinha. até q apareceu sozinha, mas nas vezes seguintes, sempre tinha gente no fliperama, entaum o máximo q arriscava fazer era acariciá-la por trás enquanto ela socava uma punheta pra mim, ficávamos assim porque o balcão tampava a visão até a altura de minha barriga e quando aproximava alguém pra comprar ficha, parávamos de nos tocar, mas só isso já era bom demais fazer.
ela estava ficando cada vez mais curiosa com as descobertas q estava fazendo e cada vez tentava inovar. lembro-me q ela já olhava pra sua bucetinha enquanto eu a tocava, vendo os movimentos de meus dedos lhe dando prazer; eu não precisava mais tirar meu pinto pra fora, ela já sabia a hora q dava pra fazer isso e ela mesmo abaixava um pouco minha bermuda e começava a punhetear, enquanto eu a tocava; e quando eu (nos dias de pokissimo movimento no fliperama) ficava por trás dela, roçando meu membro em sua xaninha pelo vão de sua perna ela mesmo se tocava segurando meu pau junto da xotinha. ela ficava toda molhadinha.
certo dia ela apareceu sozinha e não tinha ninguém no fliperama, ela entrou atrás do balcão e levantou sua saínha e falou q tinha comprado – me mostrando uma calcinha bem pequena, ficava enterradinha na bunda e apertava toda a sua xaninhna, ficando bem carnudinha. na hora pensei em aproveitar, entaum perguntei se podia chupá-la igual havia feito aquela 1ª vez, se ela tinha gostado, e ela fez q sim com a cabeça, falei q ia fechar a porta e ela ficou meio assustada mas não contestou, entaum olhei se tinha alguma alma viva naquela rua e como não passava ninguém, abaixei a porta.
cheguei até ela e levantei sua saia pra ver a calcinha, depois tirei sua saia olhando pro corpinho lindo dela, peguei-a e coloquei sentada no balcão e beijei sua boca pela 1ª vez (é incrível q já havia nos tocado, mas um bjo ainda não), ela toda sem jeito, disse q nunca tinha bjado, o q me deixou mais excitado, com ar de professor. ficamos bjando e eu toquei (tb pela 1ª) vez seu peitinho, ainda se formando, mas era durinho, uma delícia, entaum terei sua blusa e comecei a chupá-los, pra ela era mais uma sensação nova, ninguém tinha chegado ali. enquanto chupava seus moranguinhos meus dedos já trabalhavam em sua xaninha, q começa a molhar a calcinha. peguei o banquinho (agora eu q precisava dele pra dar altura no balcão) e subi nele dando a altura certinha de esfregar em sua bucetinha, q na posição de sentada com as pernas pra fora encaixava direitinho. fiquei bjando ela e seus peitinhos e abaixei a bermuda com a cueca e esfregava o corpo de meu pau em sua xaninha e a cabeça ficava na direção de sua barriga, olhei um pouco pra ver aquela cena e ela tb ficou olhando aquele bichão roçando sua pombinha por cima da calcinha, q estava encharcadinha. puxei pro lado, dedilhei um pouco e comecei a roçar a cabeça do pau em seu rasguinho, deslizava fácil pq tava bem molhada, de modo fiquei assim por um tempo, roçando pra cima e pra baixo e ela olhando com maior tesão. dei uma forçadinha na portinha e ela deu um gemido forçando a perna pra fechá-la. continuei só esfregando e logo gozei virando pro lado pra não molhá-la.
falei pra ela virar de quatro em cima do balcão e terei lentamente sua calcinha, era a 1ª vez q tinha aquela visão por trás, da xanhinha fechadinha e seu rabinho mais fechado ainda. entaum comecei a chupá-la com vontade, ela rebolava de tesão, tenho certeza q gozou, pois fez um movimento de arrepio com o corpo entaum eu parei e levei-a até o sofá q tinha mais perto da porta. tirei toda a minha roupa e me deitei, colocando-a por cima de mim, ela ficou ali rebolando naquele cacete, rapidinho já estava em ponto de bala, o q causava mais tesão nela q esfregava ainda mais aquela bucetinha naquele pau, vi q ela tentava colocá-lo, apenas com o movimento do vai-e-vem, dentro de sua xaninha, mas ele não entrava, escapava (além de muito molhada era apertadinha). pensei em alargar aquela bucetinha com a língua e falei pra gente fazer igual num filme (69), ela se virou e ficou mamando minha pica e eu chupando mais um pouco aquela pombinha linda e enfiava a linda, nisso ela até parava com a chupeta e tremia um pouco com a sensação. como já tinha gozado uma vez, agora eu conseguia demorar mais um pouco e ficamos nos chupando um 5 minutos. entaum virei-a para mim e ela sentou em cima do cacete e começou a esfregá-lo tentando novamente colocá-lo dentro de si, até q eu segurei ele e ela ajeitou-o bem na portinha e tentou uma vez olhando pra ele desvendando sua intocável pomba, ele entrou um pouquinho, só a cabeça e ela tirou, fez novamente o movimento entrando toda a cabeça, ela repetiu esse gesto umas 6 vezes, até q na hora q tava a cabeça atolada eu é q subi e ela gritou, nem vi o quanto entrou, mas ela saiu pra cima e eu esfreguei novamente em sua xaninha um pouco e acho q aflorou seu tesão e ela fez novamente o movimento e entrou a cabeça e mais um pouco, larguei o pau, pois já estava encaixado e segurei em sua cintura fazendo movimento de rebolado nela, ela fazia cara de pouca dor e devagar ia entrando, ela levantava de novo e depois descia bem devagar, fez algumas vezes isso e depois eu fui por cima, ela abriu as pernas pra mim e entrei lentamente, vendo a cabeça e parte do pau sumirem nela, ficava muito apertado e voltava, depois de alguns “vai-e-vem” já estava bem mais fácil e ela me enlaçou com suas pernas, parecia q começava a gostar, meu pinto pulsava a ponto de gozar e agüentei mais um pouco, a carinha dela já parecia misturar prazer e dor. após alguns movimentos anunciei o meu gozo e tirei molhando o sofá, mas ele não amoleceu aproveitei e falei pra ela sentar nele de novo, agora já entrava mais fácil, e como ela controlava o movimento sabia até onde descer e o ponto q te dava prazer, rebolou gostoso sempre olhando pra ele, acho q media o tanto q podia entrar, aumentou a velocidade e depois reduziu quase parando, acho q havia gozado e eu mais alguns movimentos gozei, já bem ralinho dentro dela. fomos no banheiro e joguei um pouco de água na sua xaninha pra limpar, ela disse q ardia, ela foi se vestir e coloquei papel higiênico por dentro de sua calcinha, pois podia manchar de sangue, lavei o pau, me vesti e levantei a porta, falei pra ela ficar atrás do balcão caso alguém passasse na hora, mas continuava vazia a rua. após alguns minutos acabou o culto e ela foi até sua mãe na porta da igreja, mandando de longe um bjo pra mim. tive ainda 2 vezes sozinho com ela e repetimos, agora com mais vontade, só q meus pais se mudaram pra caçapava, interior de são paulo e fui com elas, nunca mais a vi pois nunca peguei seu endereço. caso um dia vc leia o conto me escreva vanessinha. tenho certeza q não a reconhecerei, pois já é uma mulher de 21-22 anos.

liberatoaugusto@bol.com.br