RSS contos eroticos

Conto Erotico Estudando outras línguas

Estávamos trocando olhares a alguns meses, sorrisos a dois dias e saliva a alguns minutos. Ele começou me sarrando de leve com beijos e carícias inocentes como um fica qualquer e agora já estava esfregando sua piroca dura sevalgemente em minha buceta. Sempre imaginei perder a virgindade com um namorado de anos ou até meu marido. Mas aquele garoto tinha algo de especial, não sei se era o brilho dos seus olhos que até então eu nunca tinha visto de perto, suas cochas torneadas que eu sempre babava quando ele passava pra ir à academia ou seu jeito sexy de agir. A gente sempre trocava olhares quando se cruzava na rua. Há dois dias quando cheguei atrasada ao meu primeiro dia de aula no curso de inglês sentei na única cadeira vaga que por coincidência ficava ao lado dele. Olhei pra ele rapidamente e ele sorriu. A toda hora eu ficava com a impressão de que ele estava olhando pra mim, olhava disfarçadamente para o lado, mas a maioria das vezes ele não estava. As vezes que ele estava sorria. A aula acabou e fui às pressas pra casa, pois minha amiga estava me esperando. Nem pude me dar a chance de sair conversando com ele. Faltei no dia seguinte por ter acordado tarde. Mas na quarta feira apareci. Cheguei cedo e fiquei esperando por ele que foi quem se atrasou dessa vez. A professora fez um exercício em dupla e claro que eu fiquei com ele. A gente tinha que fazer perguntas em inglês ao outro que respondia. Depois que todos fizeram a professora liberou por motivos não declarados. Todos saíram da sala e eu fiquei fingindo estar anotando algo no caderno.
- Não vai embora? - Perguntou ele com a voz provocante me olhando fixo. A essa altura só restava nós dois na sala
- Vou sim. Afinal não tem mais nada pra fazer aqui não é? - Respondi pretensiosa. Ele mordeu os lábios
- Ah tem… Eu posso te ensinar outra língua… - Se aproximou e me deu um beijo. Eu estava sentada, ele passou a mão saliente em minha cocha em movimentos de vai e vem e subiu pela barriga em direção aos meus seios onde eu interceptei
- Acho melhor fechar a porta - Propus. Ele foi até a porta, eu me levantei e fui atrás dele. Depois de ele trancar a porta o virei na parede e comecei a beija-lo. Ele movimentava a língua na minha boca lentamente, desceu suas mãos pelo meu corpo até parar no quadril e apalpou minha bunda me jogou bruscamente contra parede o agarrou meus seios fartos. Ele roçava a língua molhada no meu pescoço e minha mão passeava por suas costas e nuca. Ele desceu o corpo um pouco e subiu sarrando seu membro duro em minha buceta o que a fez latejar, ele percebeu que eu gostei, segurou forte em minha bunda e repetiu o movimento. Aquilo estava me deixando excitadíssima, já sentia minha buceta molhada, ele aumentou a velocidade e a temperatura do meu corpo se elevou. Meu corpo ardia em chamas eu sentia um tesão que não cabia em mim. Não aguentei ficar só no sarro, abri meu zíper e desci parte da minha calça dando a entender o que eu queria. Ele sorriu malicioso agarrou minhas cochas me levando ao seu colo e me sentou no birô da sala. Tirou sua calça enquanto eu tirava a minha e me minha calcinha, olhei pra ele que estava me devorando com os olhos ali parado nu. Tudo acontecia em fração de segundos. O seu pênis era vermelhinho grande e um pouco fino, estava todo lambuzado e suas bolas eram depiladas. Senti uma tensão na hora, antes que eu perdesse o tesão para o nervosismo ele se aproximou colocou minhas cochas em seu ombro mergulhando sua cara em minha buceta, eu deitei no birô ” relaxa ” falei pra mim mesma. Senti as primeiras linguadas que eram como choque de prazer. Era muito gostoso, era como se aquela parte do meu corpo fosse um vulcão em erupção que ele lambia mordia beijava. Eu me contorcia de prazer volta e meia soltava uns gemidos. Ele começou a manipular meu clitóris com a língua, foi ai que eu sai de mim. Nunca senti coisa tão forte e tão gostosa ao mesmo tempo. Ele lambia freneticamente dei um gemido alto e ele parou automaticamente “xiii” fez ele. Logo em seguida subiu pra cima de mim e enfiou seu pau lambusado na minha xana que se deslizou como em um escorrego. Não senti nenhuma dor, apenas prazer. Ele tirou minha blusa em um movimento de mestre eu estava sem sutiã, pegou em meus peitos enquanto me beijava e socava seu pau num vai e vem gostoso. Eu pedia entre gemidos em seu ouvido para ele ir com mais força e isso deixava ele louco. Virei ele cuidadosamente sob o birô e comecei a rebolar violentamente. Suas expressões não negavam o quanto ele estava gostando. Apoiei minha mão em seu peito e usei minha força total, aquela energia subiu minha cabeça e tomou conta de cada célula minha eu não via, não ouvia não falava, apenas sentia aquela carga elétrica de prazer percorrendo pelo meu corpo até chegar ao seu auge e BUM! Gozei.



Gostou? Então Compartilhe!