RSS contos eroticos

Conto Erotico Putinha desde novinha – o velho tarado

Putinha desde novinha – o velho tarado



oi, meu nome é christine, sou uma loira mineira, moro em bh, hj faço faculdade de psicologia. como disse, sou loira, cabelos lisos até o meio das costas, tenho olhos azuis, coxas grossas e torneadas, bumbum arrebitado e grande como o de uma mulata, meu cuzinho e pequenino e rosado, seios de médios para grandes com biquinhos rosados e salientes, tenho 1,85m e lábios carnudos e rosados, apesar de já ter transado muito, até hoje sou toda apertadinha. meu corpo é bonito assim porque desde os 12 anos eu malho com personal treinner. sou bem branquinha, pois sou filha de pai alemão e mãe brasileira, por isso tenho cor de alemão e sensualidade brasileira. meu pai veio morar no brasil porque é executivo de uma multinacional, então abriu também uma empresa da qual minha mãe toma conta, é uma empresa muito conhecida, inclusive com filiais no rio, sampa e porto alegre. bem, como vocês podem ver, meus pais são muito ocupados, não tendo muito tempo pra mim. galera, essa aqui aconteceu aos 13 aninhos, eu vou tentando lembrar a ordem dos fatos, mas fica difícil. era um sábado quente, a rua da minha casa estava cheia, eu, putinha como sou, resolvi sair a rua e provocar a molecada que estava toda na rua. coloquei um shortinho bem curto, que mostrava minha polpinha, a calcinha era bem regada na minha bundona deliciosa, coloquei um top deixando minha barriguinha sarada de fora, amarrei meu cabelo e saí. por onde passava, era o centro das atenções. todo mundo olhava pra minha bundona requebrando pra lá e pra cá, com minha micro calcinha atolada no meu reguinho que teimava em puxar o short junto. seguindo a rua de minha casa, notei um velho sentado na porta de sua casa, ele é um ex-bancário, que mora sozinho, pois perdeu a mulher. segundo boatos, ele estava muito triste, pois há tempos não falava com ninguém, inclusive diziam que pela idade, 60 anos já estava impotente. quando lembrei disso, minha xaninha babou e eu me arrepiei de tesão. como ele era amigo do meu pai, resolvi puxar assunto: “oi sr artur, tudo bem!”, ele disse arregalando os olhos quando me viu com aquela roupa: “oi minha querida, como vão as coisas?”. ficamos nessa conversar um bom tempo, ele reparando em meu corpo e eu reparando se seu pau se mexia. até que fui mexer no cabelo e minha piranha caiu, me virei de costas pra ele e o short entrou no meu rego, o short era muito apertado e curto, então ele entrou até a metade de minha bunda, que por ser muito grande, o engoliu todo. o sr. artur engoliu seco nessa hora. notei que seu pau deu sinal de vida, nessa hora me arrepiei, inclusive os ralos pelinhos dourados do meu bumbum, ele então olhou pra mim e disse: “você tem namorado minha filha”, eu respondi que não, que ninguém me queria porque eu era feia, ele me aconchegou em seu peito e disse, esses meninos são uns bobos, porque você é linda, “ah se eu fosse novo!” e deu um sorriso. eu me arrepiei toda e os bicos dos meus seios ficaram durinhos, marcando meu top. como a rua já estava mais vazia, porque ficamos horas a fim conversando e nem vimos o tempo passar, eu pedi para sentar no colo do sr. artur pois estava cansada, ele retrucou dizendo que os vizinhos estranhariam, mas eu disse que ele era um sr. muito respeitado pela vizinhança. então me sentei em seu colo de modo que seu pau ficasse bem no meu reguinho que já latejava por uma rola. ele ficou estarrecido com aquilo, mal conseguia falar e eu senti seu pau crescer no meu bumbum, então com ar de inocente eu disse: “o que é isso sr., artur?”, ele pergunto o que e eu então meti a mão para trás e em baixo do meu bumbum, segurei firme seu pau e disse: “isso aqui!”, ele ficou sem respostas e eu disse, quero ver o que é, e ele disse que lá fora não daria, então eu o chamei para dentro de sua casa, ele disse que era amigo do meu pai e que não faria nada comigo, eu então comecei a rebolar no seu pau e a gemer: “ah sr. artur, que pau gostoso, eu quero ele todo em mim, vem me comer amor vem!!!”, ele então disse em voz alta, venha chris, vou te dar um suco pra beber. eu disse bem no seu ouvido: ”vou adorar tomar suco nesse canudão aqui, suco não, vitamina”, ele mal fechou o portão e eu já agarrei seu pau e pus pra fora, caindo de boca como uma gulosa faminta, ele gemia de olhos fechados, “ah, isso minha filhinha, vai, faz esse velho gozar!”, e eu sugava sua rola que tinha uns 17 cm, “huuummmm!!! que pau gostoso sr. artur, quero ele só pra mim!” lambuzei todo o seu pau de baba, chupei seus ovos, passei a língua eem toda a extensão daquele cacete, mordi a cabecinha e enfiava tudo na boca de novo, segurei ele pelo pau e sai puxando-o para dentro de casa, entrando na casa, ele veio feito um tarado quase rasgando toda a minha roupa e me deixou peladinha, ele disse nunca ter visto uma garotinha gostosa como eu, que apesar de nova, dava de 10 nas mulheres do meu bairro, eu me deitei na cama e ele começou a chupar minha bucetinha rosada e toda depiladinha, eu estava com tanto tesão que a baba de minha rachinha gostosa molhava toda a sua boca. “que buceta gostosa chris, lambuze minha boca com ela”. ele metia a língua em minha bucetinha e no meu cuzinho que piscava bastante querendo engolir aquela língua. ele se deitou e eu me sentei em sua cara, “vai meu cachorrão, lambe a bucetinha da sua cadela e depois me foda feito um animal, quero todo o seu cacete dentro de mim”, eu comecei a rebolar em sua cara, depois começamos um 69 onde eu engolia quase todo o seu cacete, estava tão gulosa que chegava a engasgar me dando ânsia de vômito, o que fazia seu pau ficar mais melado ainda, depois de babar em seu pau, me posicionei e comecei a sentar em seu pau bem devagar, senti minha bucetinha se abrindo e recebendo todo aquele caralho gostoso que ia me preenchendo aos poucos. como disse, sou muito apertadinha, então ainda sinto um pouco de dor no início, mas essa dor me dá muito tesão. depois que senti seus pentelhos na minha bundinha, comecei a subir e descer. “ah minha putinha, você é deliciosa, quero te foder muito sua vaquinha, vai ohhhh!”, “isso seu velho tarado, fode essa menininha que pode ser sua neta, vai, me arrooommbaaaaa!!aaahhh!que rola gostosaaaaaa”, eu subia e descia naquela rola, primeiro bem devagar, sentindo ela me penetrar bem de leve, depois muito rápido fazendo nós dois urramos de prazer, “aaaiii, sr. artur, que gostosoooo, foooddeeee!!”, “issooo putinhaaaa!!! que bucetinha linda e gostosssaaaaaa!!!” depois de um tempo, fiquei de quatro na cama e ele começou a meter por trás, ele ia num ritmo louco: “vvaaiiiiii, aahhahhhhh!vvvouuu goozarrrrr!”, acabei gozando. depois, ele enfiou três dedos na minha rachinha, “aaiii, me rasgaaaa!”, pegou o melsinho dela e passou no meu cuzinho que piscava querendo rola, depois senti ele cuspir no meu cuzinho e meter um dedo, depois dois, e começou a fazer círculos, “ai que deso grossos, parece que tenho uma rola no cu, ai que delícia”, depois senti a cabeça do seu pau na entradinha rosada e fechadinha:”vai fode meu cuzinho que está querendo muita rola”, ele meteu tudo sem dó, dei um grito, “aaaaiiii, oohhhhh, você está me arrombandooooo!!!ooohhhh! foooddeeeee!” e ele foi metendo tudo, encostei meu rosto na cama e arrebitei mais minha bunda, e ele fodendo forte, depois fiquei na posição de frango assado e ele enquanto comia meu cu chupava meus peitos, quando ele disse que ia gozar, tirei seu pau do meu cu e comecei a punheta-lo, “vai seu puto, goza na minha cara vai!” até ele gozar na minha cara e na boca, “oohh! sua vaquinhaaaa, toma poooraaaaa!” era muita porra, pois há tempos ele não dava uma, a porra era grossa, amrela e muito consistente, eu estava toda melada, minha boca estava toda grudenta, fomos para o chuveiro e lá chupei seu pau até endurecer de novo, ele disse que eu era tão gostosa que mesmo com os problemas dele ele ainda conseguia endurecer o pau, chupei muito até ele gozar nos meus peitinhos. após essa foda, tinha que ir embora, mas ele disse que era para eu voltar, pois ele tomaria viagra e acabaria comigo. quando ia saindo ele disse que ligaria para seu netinho me levar em casa, pois eram 8 da noite e por morar num bairro nobre, não tinha ninguém na rua e era perigoso. quando o netinho dele chegou, era um garoto de 15 anos, 1,87m, jogador de vôlei, o renato (era seu nome) me deixou na porta de casa, por sua educação eu retribuí, nos encostamos sob uma árvore, eu levantei o top, baixei o short e falei, vai rê, mete tudo em mim, ele era muito tímido, então eu o puxei baixei o short dele, então vi um pau preto de 19cm, “que rola linda rê”, comecei a chupar aquele charuto preto com muita vontade, “que delícia rê, vai, mete ele em mim”, eu apoiei minhas mãos na árvore e me inclinei pra trás, ele se posicionou e meteu na minha xaninha que se arreganhou na hora, “ai rê, isssoooo, vvaaaii, fode bem forte, me arregaceeee, oohhh gostooossoooooo!!” ele bombava forte e nós gemíamos muito, “aaahhh chris, sua putinha, eu vou espalhar pra todo mundo que te comi, toma sua vaaacaaaa, aahhh!” então me abaixei mais um pouco e abri meu cuzinho pra ele e falei, “já que você vai falar, toma algo pra aumentar a história, agora quero isso tudo aqui”, meu cu parecia que se rasgaria, mas aguentou tudo, “aaiii, que pau deliciosooo, vvaaiii, foode essaaa puuu tiii nhaaaa!!” ele me fodia sem dó, “aaahhh. vvvoouuu gozaaarrrr, vai seu vviiaaddooo, ffoooddeeeeee aaahahh oohhhhhh!!”, tive mais um orgasmo, esse me deixou mole, gozei tanto que molhou todo o chão, gozei agora com uma rola no cu e três dos meus dedinhos na buceta que estava toda aberta pelas fodas, ele continuou bombando meu cuzinho, eu tentava sair e ele me segurava pela cintura e bombava mais forte e fundo, então, tirei seu pau do meu cuzinho que já ardia tanto quanto minha xaninha, me abaixei, segurei seu pau e fiz um boquete, chupava mais uma vez com gosto, lambuzei todo o seu pau, chupei seus ovos, “aahhh, vadiaaaa”, foram suas últimas palavras, ele encheu minha boca de porra, eu engolia boa parte e me lambuzava com o resto, lambia a cabeça e apertava sua rola pra sair o restinho de dentro e ele lá, imóvel, só me olhando, até que ele me empurrou, levantou o short e se foi. no outro dia, quando passei pela rua, vi que todos os amigos do renato me olhavam de forma estranha, acho que souberam do acontecido, eu estava de saia, o sr. artur estava na porta de casa a me esperar para mais uma transa. quando passei pelo sr. artur, ele levantou minha saia no meio da rua, só tinha a molecada da esquina, e todos viram que eu estava sem calcinha. o sr. artur me levou pra dentro de sua casa, levantou minha saia e chupou minha xaninha muito, quando olhei para a janela, lá estava renato e mais 3 amigos, eles estavam a se masturbar, então pedi para ajudar, o sr. artur se assustou, pois não tinha os visto, quando entraram eu disse, “vamos ser rápidos pois não posso me demorar hoje, e essa é a última vez que dou pra vocês, se alguém me procurar de novo, eu digo a papai que estou sendo assediada sexualmente”, eles entraram e tiraram a roupa, eu agora tinha cinco rolas pra mim. chupei uma por uma, depois tentei colocar mais de uma na boca. depois pedi para o sr. artur se deitar e montei em seu caralho, como não podia demorar, pedi para alguém meter em meu cu, outro em minha boca e os outros dois eu ia batendo punheta, tomei rola no cu de todos eles, no cu, na boceta na boca. depois, tomei um banho de porra, limpei seus caralhos e fui embora meladinha, gosto muito do gosto e do cheiro de porra no meu corpo. chegando em casa, dormi meladinha, depois acordei e fui me banhar e contar para minhas amigas putinhas o acontecido. se gostaram, me escrevam e votem nesse conto. agora quero tomar leitinho, vou ver se tem alguém na rua pra me dar. beijos da sua chris putinha. trepando69@bol.com.br