RSS contos eroticos

Conto Erotico Putinha desde novinha - fodidas na praia

Putinha desde novinha – fodidas na praia


oi, meu nome é christine, sou uma loira mineira, moro em bh, hj faço faculdade de psicologia. como disse, sou loira, cabelos lisos até o meio das costas, tenho olhos azuis, coxas grossas e torneadas, bumbum arrebitado e grande como o de uma mulata, meu cuzinho e pequenino e rosado, seios de médios para grandes com biquinhos rosados e salientes, tenho 1,85m e lábios carnudos e rosados, apesar de já ter transado muito, até hoje sou toda apertadinha. meu corpo é bonito assim porque desde os 12 anos eu malho com personal treinner. sou bem branquinha, pois sou filha de pai alemão e mãe brasileira, por isso tenho cor de alemão e sensualidade brasileira. meu pai veio morar no brasil porque é executivo de uma multinacional, então abriu também uma empresa da qual minha mãe toma conta, é uma empresa muito conhecida, inclusive com filiais no rio, sampa e porto alegre. bem, como vocês podem ver, meus pais são muito ocupados, não tendo muito tempo pra mim. quem acompanhou meus outros contos, sabe que sou muito assanhada, muito putinha. certa vez, viajei com uma amiga minha e seus pais pra uma praia, eles têm uma casa nessa praia, e como era um feriado prolongado eu fui. fomos eu, keilla (minha amiga) que é morena, peituda, os seios dela são enorme, porém, durinhos e bicudinhos, ela temuma bundinha pequena mas empinada, coxas grossas e pêlos loirinhos contrastando com sua pele, seu pai, sua mãe e seu irmão de 19 anos. a keilla tinha 14 anos e eu estava ainda com 12 anos. chegamos à tal praia de manhã, então já fomos colocar as coisas na casa e sair. como a casa era em frente a praia, os pais da kei, junto com seu irmão cássio, foram na frente. eu e kei ficamos para nos arrumar. a kei era safadinha como eu, porém tínhamos que ser discretas, pois seus pais estavam lá. deixamos eles se afastarem bastante e começamos fomos colocar nosso biquínis. eu coloquei meu menor biquíni, é um vermelhinho, com um triângulo tapando os seios, que quase pulavam pra fora, e uma calcinha que se eu não depilasse a xereca apareceria tudo, além de que ele ficara socado no meu cu, fazendo todos os que passassem perto de mim me comerem com os olhos. a kei, colocou um biquíni branco, também tipo fio dental, porém a parte de cima tinha que ser maior, pois se fosse pequeno como o meu, o peitão dela saltaria. quando saímos da casa, havia vários homens em frente, todos eles ficaram mexendo com a gente. nós nos divertíamos muito com isso, rebolávamos até deixá-los loucos. quando encontramos seus pais, eles se assustaram, mas nós dissemos que estávamos numa praia e que gostaríamos de nos queimar bem. então eles acabaram por aceitar. o tempo foi passando e todos nós estávamos animadíssimos, até que o pai da kei disse que ia descansar um pouco junto com sua mulher e que pudéssemos ficar á vontade. o cássio já havia se enturmado com uma galera e estava jogando futebol. então eu e kei fomos andar pela praia e provocar mais alguém. nós nos distraímos numa conversa e quando percebemos, estávamos num lugar distante da maioria das pessoas na praia, lá havia apenas algumas pessoas caminhando. foi então que notamos que estávamos sendo seguidas por um grupo de 5 rapazes, eles começaram a mexer conosco e a andar mais rápido, nós também aceleramos o passo, até chegar num ponto onde não havia mais ninguém, apenas um casebre velho. resolvemos voltar, talvez eles nos deixassem passar em paz. ledo engano. quando chegamos a frente deles, eles nos cercaram e começaram a fazer perguntas, tipo de onde éramos, o que fazíamos, quantos anos tínhamos. quando souberam que eu tinha 12 e a kei 14, não acreditaram, éramos muito gostosas para ter essa idade. eles pareciam estar drogados, pois pensaram que estávamos zoando com eles. ficaram agressivos e disseram que nós iríamos pagar por tentar fazê-los de trouxa. eu e kei imploramos para não nos machucarem, que faríamos o que quisesse. eles disseram: o que quisermos é vadia? então toma! eles então nos jogaram na areia e fizeram com que nós ficássemos ajoelhadas. fizeram um círculo em volta de nós e começaram a baixar as sungas. nós não pensamos que eles fariam aquilo, nós choramos de medo. mas depois que vimos que eles tinham rolas enormes, nós nos olhamos e dissemos bem baixinho: já que estamos aqui, vamos aproveitar. começamos a chupar todos aqueles paus com muita gula, revezávamos em todos eles eles também começaram a nos bolinar. ai seus gostosos, alguém chupe meu cu e meus seios, dizia kei enquanto friccionava seu clitóris e pagava um boquete pra um negão roludo. eles diziam: que putas caras, olhem só como elas chupam nossos cacetes. vamos levar essas gostosas lá pra aquela casinha e foder bem gostoso. nessa hora eu gelei, eles nos pegaram e levaram até esse casebre. chegando lá, tiraram nossos biquínis, eles elogiavam minha bunda e os seios da kei, nos chuparam demais. nós já estávamos molhadinhas. umn dos caras se deitou e mandou que fizéssemos um 69, enquanto fazíamos isso, veio outro, abriu minhas nádegas e caiu de língua no meu cuzinho rosado. eles revezavam chupadas no meu cu, na minha buceta e também nos seios e faziam o mesmo com a kei, enquanto isso, nós chupávamos o cacete mais próximo. ai seus gostosos, venham foder a gente. ficamos de quatro e eles começaram a meter em mim e na kei. a rola de todos eles era grande e grossa, isso dava muito prazer na gente, que era putinha e gostava de roludo. depois disso, dois deles se deitaram no chão e eu e kei começamos a cavalgá-los, nisso vieram outros dois e começaram a meter nos nossos cus. eu pensei que ia morrer, duas rolas daquelas nos meus buraquinhos era demais. me sentia toda preenchida. mas queria mais. o que estava sobrando veio e ficou na minha frente, eu paguei o boc pra ele. eu apenas gemia aaahhahahh!!!!!huuuummm!!!!!!aaaahhhhhh!!!pois estava de boca cheia, mas a kei: ai porrraaaaa, vvaaaaaiiiii, meteeeee poorrrraaaa!!!!!! ai gos tooo sssooooooooo! aahahahaahhhaaaaaaaahh. o que eu fazia boc, saiu de perto de mim e foi pra frente da kei. ela pegou os peitões e fez uma espanhola pra ele. os cara foram a loucura. eles aceleraram os movimentos. se revesaram na minha boca e no peito de kei, até gozarem no meu cu, buceta e também em kei. só que teve um que gozou no peito dela durante a espanhola, eu limpei toda a porra com minha língua, assim como limpei também sua buceta e cu. ela fez o mesmo comigo. nós gozamos muito. antes de irmos, chupamos o pau de todos eles, de joelhos e com eles em volta de nós. eles gozaram em cima da gente, que se limpou com a língua e fomos embora ardendo, meladas de gozo nosso e porra deles. porém, felizes. chegamos em casa já era noite. todos estavam preocupados, levamos o maior esporro. como castigo, não poderíamos sair à noite. ficamos em casa e dormimos cedo, devido ao cansaço. porém, durante o jantar, notei o o cássio olhava diferente pra nós. de madrugada, estamos deitadas e ouvimos o pai e a mãe de kei chegarem junto com cássio. eles estavam todos bêbados, menos cássio. após os pais dele dormirem, ele veio até nosso quarto, acendeu a luz e disse: agora vocês são minhas. eu vi tudo hoje à tarde. ou vocês dão pra mim ou conto tudo. a kei acordou assustada e disse: mas sou sua irmã. cássio disse irmã não, agora você é minha puta. como não tínhamos escolha, tiramos nossa roupa e a dele e caímos de boca naquela jeba como se fosse doce. chupamos primeiro a cabecinha, passamos a língua em toda a sua extensão e chupamos as bolas. ele já estava prestes a gozar. quando ele começou a pulsar, nos ajoelhamos, abrimos a boca e aparamos todo aquele leitinho gostoso e quentinho. nos lambuzamos nele. o pau de cássio parecia de ferro, ainda estava duraço. então limpamos ele com a língua. cássio se deitou e kei foi por cima dele e começou a gemer e cavalgar seu pau. fode sua irmazinha putinha caca, vai fode. eu quero gozar nesse pau gostoso. hhhuuummmmm!!!! ele nesse momento estava chupando minha bucetinha, eu me sentei em sua cara e gozei em sua boca. a kei se abaixou e fazia uma espanhola pra ele, o pau dele era grande, pois ela ainda conseguia chupá-lo. depois disso, ele me pegou, me deitou sobre a cama na posição frango assado e meteu sem dó. eu urrei de dor, pois, apesar de estar toda molhada, ainda estava assada da foda da tarde. ele chupava meus peitos parecendo querer arracá-los a kei colocou sua xereca em minha boca e eu chupei gostoso. depois, ficamos de quatro na cama e escoramos o rosto no colchão abrindo nossas bunda com as duas mãos. ele veio e meteu em nosso cuzinhos a seco. eu e kei gritamos de dor. não sei como os pais dela não acordaram, também bêbados como estavam! ele tirava de um e metia forte em outro. até que não agüentamos e gozamos. ele gozou logo em seguida em cima de nossas bundinhas. no outro dia, estávamos assadas. o cássio ficava nos comendo sempre que dava. acho que ele estava na seca a meses. toda hora ele que uma de nós ou as duas. teve um dia que ele saiu cedo, então eu e kei aproveitamos pra passear pela praia só nós duas. sentamos na areia e nisso ia passando um vendedor de picolés. me deu uma vontade enorme de chupar picolé. mas nosso dinheiro tinha ficado na casa. então eu chamei o vendedor e perguntei quanto é o picolé. ele respondeu: é cinqüenta centavo. eu disse, não tenho dinheiro aqui, mas isso aqui compra dois picolés? puxei minha calcinha do biquíni de lado e mostrei minha xaninha toda peladinha pra ele. ele arregalou os olhos e disse: compra até mais, só que vai me pagar onde? segurei sua mão e levei ele até atrás de um trailler que tinha lá, puxei minha calcinha pro lado e mandei ele começar a foder. ele pirou com minha bunda grande e minha xana careca. enquanto ele me fodia, a kei ficava olhando se ninguém vinha. ele quase arranca minha buceta de tão forte que ele estocava. depois disso, ele quis comer meu cuzinho que eu dei com o maior prazer. o pau dele era pequeno, mas ele sabia foder, tanto que gozei feito uma égua. quando gozei a kei disse, agora é minha vez. eu fui vigiar e ela disse: poder meter fundo e forte. o cara meteu mesmo, chegava a tirá-la do chão. eu me masturbava vendo a cena e gozei de novo. o cara agora comia o cu da kei que já estava gritando ai ai ai seu puto, isso, fode meu cu ai ai aaaaaaiiiiiiiiiiiiii!!!! oooohhhhhh eu tô gooozaaannnddooooooo!!!!!!! ooohhh. eu vi quando escorreu um melado nas coxas dela e gozei nas minhas com aquela cena, fui correndo lamber as pernas dela e os ovos do vendedor. então o vendedor disse que ia gozar e esporrou nos peitos dela, eu lambi tudo, depois limpamos o pau do cara. depois disso, o pau dele ficou duro de novo. nós pagamos um boquete gostoso pra ele que gozou na nossa carinha. ele nos deu dois picolés, daqueles em forma cilíndrica (de itu). nós passamos ele na porra do cara em nossos rostos e chupamos, depois passamos ele nas nossas xerequinhas e demos uma chupada pra o cara. o gelado do picolé deixou a gente com tesão de novo. quando o cara saiu, nós ficamos passando o picolé na xana e depois chupávamos a xaninha uma da outra até que gozamos e o picolé acabou. então fomos embora dar para o irmão da kei. se gostaram desse conto, me escrevam. tenho o maior prazer em fazê-los gozar. beijos, da sua chris. trepando69@bol.com.br