RSS contos eroticos

Conto Erotico Quando descobri como é gostoso gozar...

Utilizo este espaço pra poder escrever sobre um fato que me marcou muito e que com certeza não irei esquecer pelo resto da minha vida... Me chamo Marlene; com 16 anos já tinha com um corpão de 1,65 mts, 52 kgs, peitos e bunda naturalmente bem turbinados e durinhos. Entre minhas colegas eu era a mais careta; os garotos eu não deixava passar além de alguns beijos e poucos amassos. Acho que de tanto assistir palestras sobre orientação sexual no colégio: sexo vaginal; sexo anal; sexo oral, camisinha; orgasmo etc. fiquei mais travada ainda; ao contrario de algumas meninas da minha idade que foram logo praticar pra matar a curiosidade. Férias de janeiro de 2008 fui com meus pais pra Cabo Frio-RJ; praia do forte, onde tínhamos um apartamento. Acordei cedo pra ir a padaria (meus pais ainda dormiam) e já tinha chamado o elevador quando vi um homem saindo do apartamento de frente do nosso. Ele de chinelos, sunga e uma toalha na mão veio caminhando em minha direção. Era um homem muito bonito e mesmo não sendo musculoso tinha um corpo perfeito... Me deu um sorriso e um "bom dia" que soou como música em meus ouvidos. Descemos calados, enquanto de rabo de olho ia admirando aquelas coxas grossas e sem querer olhei pra sua virilha imaginando o que poderia estar debaixo daquele pano. Quando sentei numa mesa pra tomar o meu café; ele pediu licença e sentou a minha mesa... Não acostumada; fiquei meio sem graça e ele foi puxando conversa e com sua voz doce foi me deixando relaxada. Disse se chamar Antonio e que tinha alugado aquele apartamento com alguns amigos. Os amigos resolveram irem embora alguns dias antes do combinado e ele resolveu ficar e aproveitar o período do aluguel. Falei pouco sobre mim e fiquei analisando aquele belo homem. Não usava aliança e devia ter aproximadamente uns 40 anos. Na praia, estava entrando no mar com a água batendo pouco acima do meu joelho quando ouvi aquela voz inesquecível novamente: - Olá Marlene; está com medo da água?... Sorri pra ele e ele pegou na minha mão foi me levando um pouco mais pro fundo até a água chegar abaixo dos meus peitos. Minha preocupação foi olhar pra ver onde meus pais estavam... Vendo-os ainda deitados na areia e um pouco longe fiquei mais tranqüila. Conversei com Antonio por uns 5 minutos e ele ficou o tempo todo segurando minhas mãos. Antonio me disse que no dia seguinte teria um show ali na praia com vários cantores e que gostaria de se encontrar comigo... Falei que ia tentar convencer meus pais em me deixar ir e ele me indicou o local que ia ficar me esperando. Dizendo que voltaria antes das 22:00 horas e que ficaria de longe assistindo, sem entrar na muvuca; meus pais deixaram. Encontrei com Antonio e só desobedeci meus pais por estar acompanhada... Fomos nos enfiando no meio da multidão e certo ponto ficamos parados e Antonio me abraçou por trás como se quisesse me proteger do empurra-empurra. Antonio deu um beijo no meu pescoço fazendo todo meu corpo tremer... Comecei a perceber que ele estava excitado devido a algo duro sendo apertado de encontro a minha bunda... Seus braços me envolvendo abaixo dos meus seios, senti sua mão sobre um dos meus peitos e novos beijos no meu pescoço. Quando a música começou ficar muito agitada, Antonio me virou e me beijou na boca com tanta volúpia que minhas pernas tremeram a ponto de quase perder as forças. Ele me puxou nos tirando do meio da multidão e foi me levando pela praia para um ponto bem afastado do show onde tinha poucas pessoas e pouca luz. Antonio me beijou muito; apalpou bastante meus peitos sobre o tecido da blusa; passou e apertou minha bunda por cima da calça. Aquele homem me beijando tão gostoso fui deixando e ele passou a mão até onde estava minha xoxota. Disse a Antonio que já estava na hora de voltar pra casa, devido ter prometido aos meus pais... Antonio me beijou ainda bastante antes de me acompanhar até quase a portaria do prédio. Praticamente não dormi naquela noite só pensando naquele homem apaixonante que fez todo meu corpo vibrar de prazer com seus beijos e seus carinhos audaciosos. Meus pais foram pra praia e eu disse que ia ficar mais uma horinha na cama e que os encontraria na areia. Coloquei meu biquíni e uma canga... Estava saindo quando vi a porta do apartamento do Antonio aberta. Cheguei e o chamei, e ele vindo já trajando sua sunga: - Entre um pouco Marlene; só um minutinho que vou junto com você!... Sem imaginar o risco que estava correndo; olhei pro corredor e vendo que não tinha ninguém entrei no apartamento encostando a porta. Antonio se aproximando me abraçando e começou a beijar gostoso minha boca... Ele fez com que minha canga se soltasse do meu corpo me deixando somente de biquíni. Me beijando senti sua mão empurrando meu biquíni deixando meus seios soltos... Apalpou bastante meu peitinho e quando ele abaixou e colocou a boca chupando os biquinhos que estavam durinhos, um calafrio gostoso percorreu por todo meu corpo. De relance notei que o pênis de Antonio estava tão duro que já aparecia fora de sua sunga.  Chupou, lambeu, mordiscou levemente e sua mão foi fazendo a parte de baixo de meu biquíni ir descendo... Comecei a ficar apavorada e comecei a pedir pra ele parar. Antonio já apalpando minha bunda: - Vamos lá pra cama!... : - Não Antonio; não faça isso comigo!... Nisso ele já estava me pegando no colo indo pro quarto: - Não precisa ficar com medo; vou usar camisinha!... Rapidamente ele acabou de tirar meu biquini e deitada vi quando ele tirou a sunga e seu grande e duro pinto ficou apontado pra mim; nua e quase desmaiando de medo consegui gritar: - Eu sou virgem Antonio!... Ele já estava subindo na cama me olhou espantado: - Quantos anos você tem?... Quando lhe disse que tinha apenas dezesseis anos; ele me deu um esporro dizendo que achava que já tinha 18; completando: - Porra Marlene; o que você estava pensando? Você acha que um homem na minha idade ia querer ficar somente nos beijinhos?... Tremula, gaguejava arrependida por ter confessado minha idade: - Mas eu te amo Antonio; se quiser pode fazer tudo comigo!... Ele passou a ficar alisando minha coxa e olhando pra minha bucetinha que tinha ralos pentelhos: - Não!!! Não vou fazer o que gostaria; mas já que estamos aqui sem roupas vamos aproveitar um pouco esses momentos!... Antonio deitou do meu lado me alisando. Começou me beijando como eu gostava e depois passou pros meus peitinhos. Eu já sabia o que era sexo oral; mas quando Antonio começou a chupar minha buceta fui às nuvens: - Oh Antonio! Que delícia!... Gemi muito antes de ter o meu primeiro e delicioso orgasmo. Antonio subiu sobre meu corpo, ficando de joelhos sobre minha barriga e colocando seu pinto entre meus seios ficou apertando os dois e movimentando o corpo pra trás e pra frente... Seu pinto chegava a esbarrar no meu queixo e Antonio: - Dá um beijinho nele, dá!... Dei um beijinho e ele me fez repetir várias vezes. Antonio suspendeu o corpo e chegando seu pinto: - Abre a boca Marlene!... Novamente me veio a lembrança das palestras sobre sexo oral onde a mulher chupava o pênis do homem: - Vai Marlene; só um pouquinho, abre!... Antonio colocou alguns centímetros e mandou que eu fechasse a boca em torno do seu pinto: - Isso Marlene; Agora é só deixar que faço o resto!... Quando ele começou a fazer com que seu pinto ficasse indo e vindo dentro da minha boca fui ficando desesperada que dei graças a deus quando senti que ele estava gozando... Só que ele não tirou da minha boca e continuou soltando todo seu esperma enchendo minha boca... Assustada e engasgando tive que engolir tudo. Arrumamos-nos e fomos pra praia... Antonio delicadamente disse que me achava uma menina muito bonita; muito gostosa e que apesar de gostar muito de mim; eu deveria procurar me relacionar com garotos da minha idade. Me dei conta que estava tão deslumbrada com aquele homem que nem mesmo sabia onde morava; achando que ao voltar pra minha cidade ele ia me procurar. No dia seguinte já não mais vi o Antonio; ele tinha ido embora sem nem ao menos se despedir... O resto de minhas férias foi chatíssima só pensando no Antonio. No início das aulas, quando a gente conhece novos colegas; só não podia imaginar quando entrou o novo professor de química. Estava distraída conversando quando ouvi aquela voz: - Vou ser o professor de química de vocês e meu Nome é Leonardo Antonio de........!...  Gelei na hora e ao fixar os olhos quase caí da cadeira com o coração já saindo pela boca; o professor era nada mais que o Antonio que conheci em Cabo Frio. Antonio ou Leonardo; quando na apresentação de cada aluno fingiu que nem me conhecia... Fiquei arrasada. Em sua próxima aula; ele andando entre as carteiras deixou um papel sobre minha mesa que rapidamente escondi. No recreio e dentro do banheiro é que fui ler: - Senti muitas saudades de você... Me ligue... nº 99999999. Assim que terminou as aulas peguei meu celular, liguei me identificando e ouvi: - Preciso te ver ainda hoje; onde posso te encontrar?... Pensei rapidamente e combinei uma rua bem afastada do colégio. Ele parou seu carro e assim que entrei ele deu partida e só foi parar novamente dez minutos depois numa rua totalmente desconhecida pra mim. Me abraçou beijando muito dizendo: - Nesses dias todos não consegui te tirar da minha cabeça; acho que foi o destino que me fez te encontrar novamente!... Eu estava numa alegria tão grande que quanto ele me perguntou se gostaria de ir até a casa dele; não pensei duas vezes. Andamos mais alguns minutos e ele parou na frente de uma pequena casa; abrindo o portão colocou o carro dentro da garagem. Logo que entramos foi novamente me abraçando e beijando minha boca; meu rosto; meu pescoço e abrindo minha blusa foi beijando até que já solto foi beijando e mamando os meus peitos... Levantou a saia do meu uniforme e foi tirando minha calcinha que rapidamente o ajudei a tirá-la totalmente: - Eu te desejo tanto Marlene; tanto, que quero que você seja minha!... : - Eu quero ser sua Antonio; só sua!... Fomos andando pela casa e no caminho ele ia tirando uma peça de roupa minha e uma sua sem deixar de me beijar... Só paramos na cama totalmente pelados. Antonio acariciava e beijava todo meu corpo até que foi me fazendo abrir as pernas: - Ainda continua virgem?... : - Continuo Antonio!... Senti ele colocando o pinto duro na portinha da minha buceta: - E a camisinha Antonio; não vai colocar?... Ele já forçando seu pinto pra entrar: - Hoje eu quero sem camisinha; mas não se preocupe que não vou gozar dentro de você!... Senti minha buceta ir se alargando pra poder aceitar pela primeira vez um pênis dentro dela. Começou uma dorzinha aguda; mas a vontade de ter aquele homem me fazendo mulher foi tão gostoso que só sentia aquele pinto duro ir me penetrando... Assim que Antonio começou a fazer os movimentos de vai e volta com seu pinto na minha bucetinha ardida em poucos minutos tive um impressionante orgasmo... Antonio tirou e movimentando sua mão foi despejando sobre meu corpo uma quantidade enorme de esperma. Ainda fiquei por mais meia hora peladinha na cama tendo aquele homem que eu amava me beijando e me acariciando... Depois ele me levou até as proximidades da minha casa me explicando que se alguém soubesse sobre o nosso caso íamos ter problemas dentro do colégio; teríamos que manter tudo em segredo. Passei a ir pelo menos uma vez por semana na casa de Antonio deixando que ele metesse na minha buceta (usando camisinha) me fazendo gozar muito. Apaixonada, não me importava de não poder dizer pra todo mundo o quanto eu gostava daquele homem; só pensava em estar junto dele e deixa-lo fazer o que quisesse comigo. Se ele pedia pra chupar o seu pinto; eu chupava e deixava gozar dentro da minha boca... O mais difícil pra mim foi quando ele me pegando de quatro; achava que ele ia enfiar na minha buceta, ficou forçando seu pinto no meu ânus: - Não Antonio; aí não!... Ele levando a mão várias vezes na boca e passando-a no pinto: - Não tem jeito Marlene; já não agüento mais ficar olhando pra essa bunda redondinha e não poder meter nela!... Antonio forçou até que soltei um grito: - Aaaaaiiiiiiii! Tira! Tira! Tá doendo!... Antonio foi empurrando sem se importar com meus gritos rasgando meu ânus até; ficar parado: - Isso Marlene, aperta bastante seu cuzinho no meu pau; é assim que eu gosto!... Meu ânus latejava e ele começou a socar me fazendo gritar feito uma vaca sendo sacrificada só parando pra deixar seu pinto soltar todo seu gozo dentro do meu corpo. Foi praticamente o ano todo; em segredo absoluto, freqüentando a casa de Antonio e ele metendo e mim de tudo quanto era jeito... Já estava até viciada em dar a bunda pra ele e a chupar seu pinto. Só que; tive a maior decepção quando uma menina do colégio; chamada Neuza, que não tinha lá muito escrúpulo começou a contar pra outras que estava transando com o Professor Leonardo (o meu Antonio)... Foi como um pavio de pólvora pegando fogo. Mesmo arrasada procurei ficar na minha, enquanto mais outras duas partiram pra cima da tal Neuza querendo tirar satisfações... E tudo acabou chegando na diretoria e aos ouvidos de alguns pais... Ainda bem que tive a esperteza de me manter calada e afastada de Antonio. Antonio deve que se demitir e nunca mais o procurei... Segui minha vida até encontrar outro homem; que hoje é meu marido.