RSS contos eroticos

Conto Erotico Transando com o pai de cristina

Eu tenho uma amizade que vem de infância já, sou amiga da Cristina a mais de 15 anos, é conheço a família inteira dela assim como ela conhece a minha Bom… eu já era tão chegada na casa da Cris e do seu pai Paulo, que muitas vezes eu ia la apenas para aproveitar a piscina que eles tinham em sua casa, mesmo quando ela não estava la, os pais dela até gostavam quando eu passava boa parte dos domingos na beira da piscina, pois deixava a casa mais viva, era muito grande para apenas eles 3 morarem la, em um certo domingo quando eu chego na casa do Paulo, eu vejo que ele esta sozinho lá, eu pergunto sobre a sua mulher e a cris, e a resposta foi de que eles haviam saidoa uma feira a uma cidade vizinha daqui, e voltariam apenas ao anoitecer, perguntei se não era incomodo eu usar a piscina deles, e mais uma vez ele fala que esta tudo bem, que eu poderia aproveitar sem nenhum problema, então eu fui ate ao banheiro e me troquei, eu geralmente uso biquínis de lacinho, sempre achei melhor pra mim por ser mais sensual, não que eu tinha a intenção de seduzir a família da cris, pelo menos não até aquele dia!
Ao passar alguns minutos tomando apenas banho de sol, Paulo chega na beira da piscina e pergunta se pode me acompanhar, pois estava um tédio dentro da casa, horas… a piscina é dele, eu falei que lógico que poderia, eu que era a intrusa ali, ele desconversou falando que todos ali me consideravam da família já, e que eu não era intrusa como falava ser, ele aproveitou que estava sozinho comigo e disse: - com todo respeito, até porque eu sou um homem casado, mas eu acho o seu corpo tão lindo, seus seios são grandes mas parecem ser firmes, você quando fica bronzeada é um show, e eu amo mulheres com essa sensualidade que você tem. Eu fiquei sem graça e agradeço pelos elogios, eu falei que também o acho bonito, e para acalmar um pouco a os ânimos ele resolve dar um mergulho, como eu não perco tempo quando eu estou com tesão, resolvi facilitar as coisas, ainda mais porque para mim, era muito excitante o fato dele ser pai de uma amiga minha, se eu conseguisse algo eu estaria no céu, mas se não conseguisse, eu estaria literalmente fodida, este risco me deixou completamente molhada, e antes de eu ir para o mergulho junto com ele, eu deixo o lacinho da parte de cima do meu biquíni bem frouxo, e pulei com tudo na aguá, a parte de cima saiu de primeira! fingi que nem tinha percebido que perdi a o meu biquíni ao pular, e viro para conversar com o Paulo, que logo fixa os seus olhos em meus peitos, e eu pergunto: -Oque foi Paulo? Paulo: -Você esta sem a parte de cima. eu: -Nossa, desculpe, cade o biquíni meu deus? Paulo então pega a parte de cima e fala: -Não vou te devolver, você esta simplesmente perfeita assim. Ao ver que ele havia aceitado com bons olhos os meus seios, decido então tirar a parte de baixo do biquíni, ao tirar, eu jogo a peça para ele, e pergunto se não esta melhor, ele fica espantado, e fala que achava que já estava ficando errado aquilo tudo, mal sabia ele que só iria piorar, eu saiu da piscina e falo que irei tomar um pouco de banho de sol, ele sai logo atras de mim, eu me viro e o abraço, beijando o seu peito, perguntando se ele não estava afim, ele ficou totalmente sem reação, eu me deitei e puxei o corpo dele para cima de mim e beijo a sua boca, coloco a sua sunga de lado, deixando aquele pau já duro e grande bem na portinha da minha buceta encharcada de tesão, fiquei roçando a cabecinha da sua rola em minha buceta, falando baixinho em seu ouvido: -Tem certeza de que não quer experimentar? só uma vez, como se fosse um segredo nosso, só NOSSO! , ele se levanta e me pega em seu colo, me leva para dentro da casa, e para a minha surpresa, e que surpresa excitante, ele me leva para o quarto da filha dele, me deita na cama da crisi, e fala que se for pra me foder 1x, que seja bem feito, ele abre minhas pernas, e começa a chupar a minha buceta como se estivesse querendo a comer com a boca, ele socava dois dedos em mim enquanto metia a sua língua em cada partezinha da minha então ensopada buceta, eu gemia alto, transar com o pai de uma amiga, em sua própria cama, foi a sensação mais gostosa que eu já tive em todos esses anos de puta, depois de muito tempo me chupando, eu fico de 4 na cama e começo a chupar o seu caralho todo melado, ele já quase havia gozado apenas me chupando, enquanto eu metia a minha boca naquela rola, ele não parava de falar o quanto eu era gostosa, me comer na cama da sua filha erá um sonho erótico que ele já tinha a anos, ele mandava eu mamar aquela rola cada vez com mais vontade, ele forçava ate a minha garganta e tirava, e quando ele se cansou de me ver babando em seu pau, ele me vira e soca com tudo, sem nenhuma enrolação, bem no meio da minha buceta, ele me puxa pelos cabelos, e começa a bombar com muita força, eu gemo muito alto, quase gritando, ele enche a minha bunda de tapas e beliscões, falando: -Toma, Toma sua vadia ingrata, minha filha e minha esposa abrem a porta da casa para você, e você retribui traindo elas, sua puta sem vergonha, é esse o tipo de companhia que a minha filha tem? ela deve ser outra puta, aquela biscate, quem aprendeu com quem? não era rola no meio da sua buceta que você queria? eu respondo gemendo mt, sem muito folego para completar as palavras sem antes ter uma pausa: -Não Paulo, não era isso que eu queria, e a eu aprendi a ser puta com a sua filha, ela é mais biscate do que você imagina. Paulo: -eu já sabia, ela puxou a mãe mesmo, e se não é rola no meio da sua buceta, oque você quer então? eu: -Quero tomar no cú Paulo, mete nele mete? sem demorar 1 segundo, e sem falar nada, ele mete cada centímetro do seu kacete com muita força dentro do meu cú, eu falo: -Vai com calma Paulo, assim você me machuca. Paulo: -Machuco é? então ele da mais uma estocada com força, e fala: -To nem aí, você vai sofrer agora. Ele começa a meter com muita força, desde o inicio, ele socava e me puxava pelos cabelos novamente, passava a mão em meus seios,e de vez em quando ele passava os dedos em minha buceta e depois colocava na minha boca, mandando eu sentir o gosto de puta que eu tenho, gosto que por sinal eu amo, a cada socada que ele dava em meu rabo, eu sentia meu corpo afundando na cama, aquele barulho delicioso das suas bolas batendo em minhas coxas era muito alto, eu tive que aguentar firme e forte, afinal, não foi eu que pedi pra levar rola? não sou eu que quero ser a puta da sociedade? putas como eu merecem isso mesmo, levar muita rola no cú e tapa na cara, ter a buceta fodida sem nenhuma dó por um macho arrogante como Paulo, mas era arrogante apenas na cama! e como era rs! Quando eu senti que ele iria gozar, eu imploro para que ele encha o meu cú com a sua porra quentinha, ele me contraria tirando o seu pau de dentro de mim e esfregando em meu rosto, gozando e melando todinho o meu rostinho de cachorra sem vergonha, ele fala: -Toma putinha, toma porra na cara sua vadiazinha do cú apertado, a minha filha te ensinou bem como agradar a um homem. Ao terminarmos, eu tive que trocar a cama da cris, que naquele ponto já estava toma molhada com o meu suor, a minha lubrificação, e um pouco de porra que havia caído do caralho do Paulo, só de pensar que ela dorme bem aonde eu transei gostoso com o seu pai, me deixa molhada até agora! Nunca mais transamos, apesar de hoje eu lhe contar todas as histórias de transas da sua filha, só para ele ficar informado e bater umas punhetas, eu continuo indo tomar banho de piscina na casa deles, este conto foi real, e agradeceria se comentassem e qualificassem caso gostem da história!
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.