RSS contos eroticos

Conto Erotico Amor de Cão

Este conto narra a iniciação de uma amiga, a Emilia, hoje morando em Brasilia. Sou casada e sempre tive uma vida normal com meu marido. Mas, algums meses atrás, fui á casa de uma amiga e, depois de conversarmos sobre as aventuras descritas nos sites de contos eroticos, começamos a nos beijar como se fôssemos um casal de adolecentes. É verdade que tinhamos bebido um pouco de champanha e que desde nossa adolecençia no colegio já nos admirávamos mutuamente. Quando a deixei, senti-me quase envergonhada, ou melhor, assustada com meu comportamento. Mas isso não impediu que, á noite, ao fazer amor com meu marido, eu experimentasse um orgasmo excepicional, simplismente porque recordava a tarde passada com minha amiga. No dia seguinte, foi ela que veiro a minha casa, minha filhinha de oito anos estava na escola e pudemos conversar livremente. Confessou-me que não era lesbica e que apenas gostava de ir ao fundo da emoções. Por isso, convidava-me para uma tarde de prazeres inéditos em sua casa. Perguntei-lhe o que era e ela disse-me que preferia manter suspense até o momento justo. Isso, de fato aguçou-me a curiosidade e excitou-me ao ponto de, á noite exceder-me em invenções que supreenderam meu marido."O que é isso?" perguntou-me ele. "Voce está cada vez melhor". Algum amante está te ensinando novidades?" Respondi-lhe que havia lido tudo em um site de contos eroticos. Meu marido é diplomata e não estranhou minha resposta. Quando cheguei á casa de minha amiga, encontrei-a abraçada com um enorme pastor-alaemão, "è o nosso amigo" disse ela, "Vais adorar". Meio assustada, indaguei:"o que?" mas ela já começara a despir-se,enquanto me pedia que fizesse o mesmo,"estás maluca?", comentei. "estou com medo desse bicho." minha amiga sorria e, já inteiramente nua, passou a acariciar o sexo do cão que, em poucos minutos, começou a surgir, fino e longo como uma espada pontuda, enquanto o animal se convulsionava, assanhado."Já viste coisa mais linda do que o pinto deste machão?" Eu não sabia o que fazer, mas confesso que estava fascinada pelo corpo de minha amiga. Eala se mantinha de joelhos na cama, enquanto tocava no cachorro. Então despi a blusa e deixei cair o jeans. Em seguida, beijei minha amiga na boca, acariciando-lhe os seios. Por sua vez, o cão lambia-lhe o sexo afoitamente. Era uma loucura indescritivel. Através do espelho existente no quarto, eu podia ver as nádegas de minha amiga, e aquilo me deixava em estado de febre. Logo, ela pos a cabeça do machão entre minhas pernas e eu senti a lingua dura do animal percorrer-me o sexo desde o nus até o clitóris, como um estilete frio. Já, então, minha amiga ajeitava dois travesseiros sobre o tapete e punha-se de costa, ajoelhada, enquanto o cão tentava penetra-la como se ela fosse uma cadela. Mas a operação não era facil: ela virou-se de barriga pra cima e introduziu o sexo do animal na sua vagina, enquanto o masturbava. Logo gemeu e gritou de prazer. Imediatamente coloquei-me na mesma posição e dirigi o sexo do cachorro para o meu sexo. Em movimentos rápidos, ele enterrou profundamente nas minhas entranhas. Sua baba lambuzava-me o rosto e o contato dos pelos do animal me excitava ao maximo. Então, senti uma forte tontura e desmaiei. Machão tambem havia gozado, o que me deixou preocupada. "E se eu ficar grávida desse cachorro?" Minha amiga tranquilizou-me,"Não há hipótese, o ovário feminino não aceita o esperma de um cão, está provado." foi então que começei a perceber que o cão se lambia e engolia o liquido que saía do seu sexo. Quanto a mim, ainda sentia no útero o contato erecto e fino daquele menbro de vinte centimetros de comprimento e com a grossura de um dedo de homem.dogviralata@bol.com.br