RSS contos eroticos

Conto Erotico Eu, Ritinha e Herói - Minha iniciação 2 (O dia seguinte)

Olá. Lembram de mim? Sou a Duda. A alguns dias atrás eu postei meu primeiro conto aqui: "Eu, Ritinha e o Herói - Minha iniciação" que, por sinal, assim como este, não é ficção e sim uma história real. Como escrevi lá, aquela foi apenas a primeira vez. O início do início. Caso você não tenha lido aquele conto, sugiro que o faça para acompanhar a sequencia dos fatos. Agora, contarei como foi a continuação dessa história: Mal acordei no dia seguinte e aquela "loucura" da véspera me veio à mente, e ficou "martelando" na minha cabeça. Por mais que tentasse, não conseguia parar de pensar naquilo. Eu estava confusa, mas de uma coisa eu tinha certeza: eu tinha gostado ... e queria mais! Na hora do recreio no colégio, enquanto não consegui puxar a a Ritinha para um canto do pátio para conversar a sós com ela não sosseguei. Pedi que me contasse tudo: como ela tinha tido coragem de fazer aquilo com Herói (que me levou a fazer o mesmo depois), se ela já tinha feito aquilo outras vezes, se ela já tinha feito alguma outra coisa com ele, por que ela não tinha me contado antes ... eu queria saber tudo! Como havia muita gente passando por perto o tempo todo, não pudemos conversar naquela hora, mas a fiz prometer que naquela tarde ela me contaria tudo, nos mínimos detalhes. Não preciso dizer que quase enlouqueci até chegar a hora de ir "estudar" na casa dela aquele dia. Minha cabeça estava "a mil", meu coração batia acelerado, a respiração ofegante, e minha xaninha "piscava". Não consegui esperar até as três da tarde, hora que eu costumava ir para a casa dela. Inventei uma desculpa para minha mãe, dizendo que teríamos um teste no dia seguinte e tínhamos muita matéria para estudar. Mal acabei de almoçar, escovei os dentes e liguei para Ritinha, perguntando se já poderia ir para lá. Ele disse para eu ir, pois a empregada dela estava indo embora naquela hora. Cheguei às duas em ponto e, mal ela abriu a porta, eu já fui "descarregando" um monte de perguntas. Eu estava excitadíssima! Fomos direto para o quarto dela, onde o Herói já estava, todo cheiroso e de gravatinha borboleta no pescoço (tinha acabado de chegar do banho semanal no pet shop). Ela então foi me contando como começou a "adestrar" Herói, no início alisando e fazendo carinho no seu pau, até masturbá-lo, e depois ensinando a lamber a xaninha dela. Ela disse que, depois que vimos aquelas fotos de mulheres fazendo sexo com cachorros e cavalos na internet, ela não conseguiu pensar em outra coisa, e cismou que queria fazer o mesmo. Levei um susto e lhe perguntei se ela já tinha deixado o Herói comê-la, mas ela respondeu que não, que já tinha até pensado nisso, mas ainda não tinha tido coragem. E voltou a me contar com detalhes como foi em todas as vezes que "ficou" com Herói. Com isso fomos ficando cada vez mais excitadas e percebi que Ritinha, que estava sem calcinha por baixo do vestidinho, já estava se alisando, o que eu rapidamente também fiz: tirei minha calcinha e também comecei a me alisar por baixo da minisaia. Só de ouvir o que a Ritinha me contava, minha xaninha já estava meladinha de tesão. Herói, que até então estava deitado no chão, bem na nossa frente, ora olhando para nós e ora lambendo seu pau, se levantou e pulou para a cama onde estávamos e logo começou a querer enfiar seu focinho entre nossas pernas. Naquele dia cheguei à conclusão de que os cães conseguem sentir o cheiro que nós mulheres também devemos exalar quando estamos com tesão, e se excitam com isso. Vendo a vontade do Herói, falei logo para Ritinha que hoje eu queria ser lambida por ele primeiro, já que na véspera tinha sido ela, além dele já ter feito nela outras vezes. Ela concordou e mudou de posição, ficando de joelhos, com as pernas fechadas e sentada sobre elas. Então abri mais minhas pernas, para ficar com a xaninha bem à mostra e continuei me acariciando, com uma mão na xaninha e com a outra meus peitinhos, que já tinha botado para fora, abaixando minha blusinha até a cintura. Foi o suficiente para Herói enfiar de vez seu focinho entre minhas pernas e começar a me lamber. Que delícia! Aquela língua enorme, quente e áspera estava deslizando de novo por toda a minha xaninha. Botei uma almofada debaixo do meu bumbum, para ficar com a xaninha bem empinada, o que permitiu que Herói passasse aquela língua maravilhosa desde o meu cuzinho até o grelinho. Eu adorei aquilo! Se aproveitando da situação, Ritinha começou a mamar meus peitinhos. Eu delirei de tesão até explodir num gozo indescritível! E caí exausta na cama. Ainda me recuperando do cansaço que Herói me deu, ví que ele já estava com o focinho entre as pernas da Ritinha lambendo ela todinha, que também tinha colocado a almofada embaixo do bumbum para empinar a xaninha. Fiquei olhando aquela cena, mas logo fui retribuir os carinhos que tinha recebido da Ritinha, acariciando e mamando seus peitinhos, até que ela gozasse também. Depois disso, cochilamos os três juntos: eu, Ritinha e Herói. Despertei praticamente junto com a Ritinha e percebemos que Herói ainda dormia. Aproveitamos para conversar mais um pouco sobre aquilo que estava acontecendo com nós duas e o Herói. Acabamos confessando uma para outra que estávamos adorando, mas que ainda não estávamos satisfeitas. Queríamos mais. Queríamos também a pica do Herói em nossas xaninhas. Mas tínhamos medo. Medo de que? - nos perguntamos. E começamos a falar sobre isso, no fundo querendo tomar coragem para seguirmos adiante, e dar forças à nossa vontade. Conversa vai, conversa vem, e lá estávamos as duas acariciando o Herói, que prontamente rolou para ficar de barriga para cima, abriu as patas, botou aquele pauzão vermelho para fora e começou a fazer movimentos de vai-e-vem. Começamos a masturbá-lo. Foi quando eu vi pela primeira vez a "bola" na base do pau do Herói (até então só tinha visto nas fotos da internet). Acho que era do tamanho de uma bola de tênis. E também era vermelha, igual à pica dele. Peguei nela e fiquei segurando enquanto Ritinha batia uma punhetinha nele, que foi ficando cada vez mais excitado, jorrando seu líquido em jatos fortes sobre nós duas. Ritinha não resistiu e caiu de boca naquele pauzão (segundo ela, pela primeira vez). Logo a seguir resolvi fazer o mesmo. Lambi e chupei a pica do Herói feito louca. Nossa excitação era tanta que não conseguimos mais "segurar a onda". Eu estava segurando a bola do Herói, que continuava deitado de barriga para cima com as patas abertas, quando Ritinha montou sobre ele e começou a roçar a xaninha naquele pau gostoso. Logo gozou. Aí trocamos de lugar para eu fazer o mesmo. E assim, ficamos "sisiricando" nossas xaninhas alternadamante na pica do Herói e gozamos várias vezes. E Herói também. Depois disso, caímos exaustas, com o corpo todo lambuzado de porra. Herói nos lambeu todinhas e lambeu todo o seu pau, como que para deixar tudo bem limpinho, pronto para a próxima vez! Ainda não foi dessa vez que deixamos Herói nos penetrar, mas tínhamos avançado bastante nas nossas fantasias. Na próxima vez eu conto como foi que viramos, de fato, duas cadelinhas para o Herói. Beijinhos, Duda.



Gostou? Então Compartilhe!