RSS contos eroticos

Conto Erotico LOTERO E O SEU POLDRO

MEU NOME FICTICIO É ANDRE. Esta historia ocorreu por acaso, na época estava com 40 anos de idade. Bem vamos ao que interessa, moro em uma cidade cercada por fazendas e riachos. Estava em férias do trabalho, quando resolvi sai pela região sem destino, peguei minha bicicleta, pois adoro pedalar, mochila nas costas e lá se vou eu. No caminho pensei, vou visitar Lotero. Lotero é coroa, solteiro de cor negra, 60 anos, mora só, nunca teve mulher, nem filhos, cuida da fazenda com dois vaqueiros. Ele sempre me diz que mulher só dá despesas e encrencas, por isso nunca quis morar com nenhuma. Cheguei a fazenda de LOTERO por volta das 17:00 horas, de longe já avistava o mesmo no curral cuidando dos gados, me aproximei, EU: Boa tarde LOTERO, ELE: BOA TARDE ANDRÉ, MILAGRE VOU APARECER, QUANTO TEMPO. EU: ESTOU FÉRIAS, RESOLVI LHE VISITAR. ELE: JÁ ESTOU TERMINANDO, TEM LEITE QUENTE, PARECER QUE ESTAVA LHE ESPERANDO. EU: É A FORÇA DO PENSAMENTO. ELE: ESTOU PRECISANDO DE ALGUÉM PARA CONVERSAR VIVO SÓ. EU: POR QUE QUER, TEM DINHEIRO, TEM UM BELA CASA, É SÓ ARRAJAR UMA COMPANHEIRA. ELE: “EU JÁ LHE FALEI QUE MULHER SÓ DÁ DESPESAS E ENCRENCAS. LOTERO terminou os afazeres, seguimos para sua casa sede, lá chegando ele disse, vou tomar um banho para a gente jantar, como já tínhamos feito sexo muitas vezes, ele não se importou tirou a roupa na minha frente, mostrando toda sua riqueza negra, apesar da idade(60 anos) musculoso, pernas grossas, cumpridas, tórax maravilhoso, pela força braçal, pênis 23 cm, grosso e cabeçudo. LOTERO era mais alto do que eu, eu tenho 1,86 cm, Lotero é um negão de 1,92 cm de altura. Vendo LOTERO, aquele garanhão nuzão, disse: “PARECE QUE O SEU PAU TÁ MAIS GROSSO”, ele respondeu: “VOCE SABE É TODO SEU, você é quem me satisfaz, estava com saudades, vou dá um lavadinha para você dá uma mamadinha, logo estava eu sentindo o cheiro de merda de gado, pois aquele cheiro me fascinava e me dava tesão, comecei a chupar LOTERO como toda volúpia e tesão, ele estocava na minha boca com aquele cacetão, já estava quase gozando quando pensou em tirar para enfiar no meu cú, eu não deixei, segurei firme aquela rola imensa, ele gozou bebi seu leite todo em derramar um pouquinho. Ele você deixa leve, vem morar comigo, respondi, quando me aposentar. Ele tomou banho, jantamos. Eu adoro homem de cueca samba canção, ele colocou uma de cor branca, sentamos no sofá da sala,botamos conversa em dias, quando percebi que ele estava alterado de tanto safadeza que falávamos, então passei a chupá-lo, em seguida ele me botou de quatro empurrou seu pirocão, em meu cu´, sem dó, nem piedade, apesar de já ter dado muitas vezes a ele, mas o pênis dele era anormal, muito grande e grosso, ele mordia meu pescoço, minha orelho, enfiava os dedões em minha boca, me xingava de safadinha, porrinha, fuleirinha, putinha, vagabunda, mas estocando aquele picão cada vez mais forte, cada palavra que pronunciava era uma estocada. Transamos quatro vezes na noite, era só ele despertar que subia em cima de mim como um cavalo no cio. Às 4:00 horas ele levantou, me deu um beijo e disse durma meu anjinho que vou tirar leite. Eu pensei, vou sentir o cheiro do meu garanhão de perto. Chegando no curral, tinha um poldro castanho, do nado o cavalo cresceu a jeba, vendo aquela rola enorme, me deu tesão, meu pai levantou, como estava de pijama, LOTERO percebeu e disse, quer fuder com o cavalo minha neguinha, já não basta seu garanhão, respondi será que aguento, ele disse, aguenta, você aguenta meu pau, o cacete do cavalo só é mais grosso e mais cumprido, ele é manso, quer experimentar, respondi vamos tentar, ele espere ai que volto já, neste intervalo, enquanto LOTERO foi na despensa onde guarda remédios para os animais, me aproximei do cavalo alisando aquele pau enorme, o cavalo dava estocada com a pica, num momento bateu com força em minha cara, adorei fiquei com mais tesão, comecei a chupá-lo, a cabeça entrou rasgando a minha boca, aquele cheiro de pica de cavalo me deixava cada vez mais com tesão de dá para o poldro, neste momento LOTERO retornou com um vaselina tipo pasta com cheiro de xoxota de égua, passou em cú, levou o cavalo para um local do curral tipo um elevador, ordenou que ficasse de quatro empinando a bunda, o cavalo ao sentir aquele cheiro de xoxota de égua, apontou sua espada gigante em direção a minha bunda, tentou a primeira, vez, a segunda, a terceira e nada, LORETO começou a rir e disse, vou ajudá-lo, só deixe entrar aonde você aguentar, para não ter acidente, LOTERO segurou a picona do cavalo direcionando no buraco do meu cú, sentir a cabaçona me penetrar, ao sentir doer minha barriga, pedir para LOTERO segurar até aquele, pedaço pois estava sentindo dores fortes, Lotero dava risadas e mandava eu rebolar, com rebolados frenéticos sentir um prazer que nunca tinha sentido, antes, logo jorrou tanta porra que encheu meu cú, jorrando para fora deliciando minha bunda, o poldro com seu instinto animal querendo gozar, dava estocada cada vez mais forte, só não me arrombou de vez por que LOTERO controlada cada cm de penetração, aguentei 30 cm da vara do cavalo, até hoje, quando tenho oportunidade transo com cavalos. Ah! LOTERO se deliciou tanto ver o animal dele me penetrar, que após eu gozar com a pica do cavalo, ele me fudeu no curral sentindo o cheiro da bosta de boi, uma delicia eu gozando de novo na picona dele(LOTERO) .
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.