RSS contos eroticos

Conto Erotico Loucuras na Fazenda - I

Demos uma pausa e meu cunhado voltou com a lida na fazenda e eu pegando o carro fui a cidade para comprar gel lubrificante, pois tinha que dar o cú pra ele de qualquer jeito. Cheguei a farmacia e para meu desespero não tinha gel, e esta era a unica farmacia da cidade. Voltei para o sitio, e com decepção, falei para meu cunhado que não achara o gel, e ele me disse que daria um jeito. Terminada a lida, meu cunhado disse para ir até o galinheiro, e pegar varios ovos para o jantar, e eu fui até lá, no caminho ouvi um barulho de cavalos, e vi um garanhão fodendo uma égua, e aquele mosntro de pau, fazia a égua gemer de verdade. Fiquei ali vendo a cena, e quando o cavalo gozou, e desceu da égua saiu tanta porra, que parecia que não acabava nunca, e nisso meu cunhado chegou perto de mim, e disse que se eu quisesse, poderia ser a proxima vitima do pegasus, o garanhão. Olhei para meu cunhado, e disse que nem seu pau eu sabia se conseguiria agasalhar, e muito menos o do pegasus, então ele me disse: Pega os ovos, que eu vou te preparar para que o pegasus te arregasse. Sai e fui ao galinheiro, peguei uma cesta de ovos, e voltei para a casa sede. Meu cunhado estava sentado perto do fogão a lenha, e me ofereceu café. Eu estava ansioso, para dar ao meu cunhado e com medo de pegasus. Meu cunhado disse, que ia tomar banho e depois de meia hora estaria no quarto de ferragens me esperando, assim fiz o mesmo, fui tomar banho, fiz uma otima e demorada lavagem anal. E fui para o quarto de ferragens. Cheguei lá meu cunhado estava com a cesta de ovos na bancada e com um short largo, que demosntrava seu tesão. Nos abraçamos e beijamos, e eu já fui tirando seu short, e punhetando seu pau, depois me ajoelhei e o chupei com muita vontade. Depois pediu para que eu subisse na bandaca e ficasse de quatro, ele pegou a cesta de ovos, e pegou um dos ovos, e fez mensão de enfia-lo no meu cú, mas eu relutei e ele disse que tivesse calma pois seria apenas o que estava dentro, e assimemipei o cú e abri as polpas ao maximo, ele quebrou o biquinho do ovo e deixou a clara sair e com os dedos foi enfiando dentro do meu cu, depois pegou mais um e fez o mesmo. Depoi me fez descer e deitar num sofa velho que ali estava, ainda me pediu para chupar seu pau que babava de tesão, e em seguida pegou as gemas que sobraram e lambuzou seu pau, me coloquei de frango assado, e ele se ajeitando entre as minhas pernas posicionou seu pau a minha entrada. A cabeça de seu pau escorreagava e quando acertou a entrada passou como um ferro em braza, e não contive um gemido agudo de dor e tesao. Ele ficou estatico, por alguns intantes, e depois foi empurrando vagarosamente seu pau pra dentro de mim, e chegou a por quase tudo. Ainda com um pouco de desconforto, ele iniciou um vai e vem, calmo e lento, e a medida que me acostumava a seu pau ia aumentando a investida. Em poucos minutos ele estava urrando de tesão e gozando dentro de mim, foi tanta porra que espulsava a clara de ovo de dentro de mim. Depois me virou de quatro no sofa e cravou novamente seu pau em mim, desta vez foi só prazer, e fodemos por um bom tempo, até que gozou novamente. Fomos para o banho e dormimos, durante a noite acordei com sonhos entre eu e pegasus, pois aquilo havia mexido comigo. Pela manhã tomamos o café juntos e sem comentar nada para que os outro não percebessem nada, ele me pediu para pegar a cesta no quartinho de ferragens, e sai. Quando cheguei lá ele entrou logo atras e me pediu para chupá-lo novamente, o que fiz sem pestanejar. Chupei e ele gozou fartamente em minha boca. Depois me levantei e ele me beijou e disse que ia preparar uma oportunidade para que o pegasus me arromasse. Continua....
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.